Monthly Archives abril 2012

Maria Lenk: Flamengo campeão e os centésimos que fazem diferença

Fazia tempo que não havia uma disputa tão grande entre os clubes. Flamengo, Corinthians e Pinheiros entraram as últimas finais com chances de vencer o Campeonato Maria Lenk.

Joanna, assim como Fabíola, vai para sua terceira olímpiada. (Reuters)

Joanna Maranhão começou bem para o time carioca nos 200m borboleta, mas aqui começa a soma de como se ganha (ou perde) um campeonato por centésimos. Senão vejamos: os recordes dão pontuação extra e os revezamentos tem a pontuação dobrada. Pois Joanna ficou a apenas 21 centésimos do seu recorde sul-americano.

Depois de bater Thiago Pereira nos 200m costas, o campeão pan-americano dos 200m borboleta esperava mais na sua especialidade. Leonardo de Deus ficou um pouco decepcionado com o resultado, mas feliz por ter batido seu adversário, o finalista olímpico Kaio Márcio.

Fabíola: após o drama do doping, o alívio da vaga que tinha perdido. (Satiro Sodré)

A prova mais emocionante foi os 100m costas, que garantiram mais dois em Londres. Primeiro, a redenção de Fabíola Molina que, por meros 8 centésimos (de manhã tinha ficado a 18 centésimos do índice), classificou-se para sua 3a olimpíada. De manhã, Daniel Orzechowski nadou abaixo do índice (por 20 centésimos) e, mesmo acabando em 3o. na final, também carimbou seu passaporte. Por 6 centésimos, Thiago Pereira não abaixou o recorde de campeonato, mas fez sua melhor marca e talvez tenha garantido a vaga no revezamento medley, já que não vai nadar a prova individual em Londres.

Orzechowski: o catarinense de sobrenome polaco que treina em São Paulo vai estar na piscina inglesa. (Satiro Sodré)

Nos 400m livre, 6 nadadoras no pódio. Assim como nos 800m livre, as 3 primeiras foram estrangeiras e não são consideradas para as medalhas. Só que desta vez Mireya Belmonte devolveu a derrota para Lotte Friis. Belmonte nadou bem abaixo do recorde sul-americano e seu melhor tempo pessoal.

No masculino, mais dois estrangeiros dominaram, deixando claro que hoje as provas de meio fundo e fundo são nossos pontos fracos.

Para ser mais “televisiva” optou-se por juntar as finais B (onde disputam do 9o. ao 16o.) após as disputas de medalhas. Mas deu a volta do Flamengo, que empatou com o Pinheiros (segundo colocado, por pouco mais que um recorde sul-americano) em vitórias no campeonato brasileiro absoluto. Em terceiro o Corinthians, deixando o campeão do ano passado, o Minas, em quarto.

Cielo e Fla: agora é 13 vezes campeão. (tweetphoto)

Parabéns a todos!! Lembrando que daqui a duas semanas, os que chegaram próximo ao índice vão poder tentar pela última vez.


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo

Quarto de nadadora durante a competição

Esta foi uma foto postada no twitter pela Gabriella Silva (@gabiswim), nosso melhor resultado da natação feminina em olimpíadas.

“Quarto de nadador durante competição é assim!" (Gabriella Silva)

Está tudo aí: isotônico, garrafinha para shakes, vitamina C e E, barrinhas de cereal, amino, carbohidratos e outras misturas, num aparente caos organizado.


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo

Resultados do Maria Lenk: decepções e outro brasileiro com melhor marca mundial do ano

As finais do penúltimo dia foram as mais decepcionantes e sem nenhum novo nome olímpico.

França vai invadir a Inglaterra: venceu com mais facilidade os 50m que os 100m. (Satiro Sodré)

O destaque da noite foi Felipe França, aproximando do recorde mundial nos 50m peito, com a melhor marca de 2012 para a prova não olímpica. Aliás, o próprio Cesar Cielo parabenizou pela volta das finais à noite e a eliminação das semi, mas questionou a manutenção de provas não olímpicas nesta competição.

Agora o Brasil tem as melhores marcas do ano em TODOS os 50m masculino!

Ana Carla Carvalho, companheira do Pinheiros de França, consolidou-se como o nome para o nado de peito, após fazer a dobradinha nos 50-100m.

Metade das finais de ontem valiam apenas pontos para os clubes e resultados pessoais para os atletas, mas sem a relevância do status olímpico. Além dos 50m peito, 4×50m livre (porque não o medley também???) e os 800m livre masculino completaram as provas com esta característica.

Ana Carla: pontos importantes para que o Pinheiros entrasse o último dia na liderança parcia. (Satiro Sidré)

Outro que ficou a 2 décimos do recorde, este sul-americano, foi o argentino Juan Pereyra, que nada pelo Minas, nos 800m livre.

Mesmo com vitórias fáceis, Cesar Cielo e Thiago Pereira compartilharam a mesma sensação de que vão precisar nadar mais rápido em Londres se quiserem subir ao pódio nos 100m livre e nos 400m medley. Mesmo estando entre as 10 melhores marcas de 2012, todos (público, técnicos e os próprios) esperavam desempenho melhor. Ainda temos 3 meses para muito treino e acertos finais.

Apenas vencer não satisfaz Mr Pan. (Satiro Sodré)

As estrangeiras dominaram na versão feminina, com a espanhola Mireia Belmonte invertendo as posições dos 200m medley com Joanna Maranhão, e a dinamarquesa Jeanette Ottesen conquistando sua 4a. vitória nos 100m livre.

Assim como Thiago, Cielo não gostou do que viu no placar. (Satiro Sodré)


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo

E o vento levou… os nadadores para o topo do mundo

Vários recordes foram quebrados nesta terceira noite de finais do Troféu Maria Lenk, sendo que dois deles levaram a dinmarquesa Jeanette Ottesen e Cesar Cielo ao topo do ranking mundial nos 50m borboleta.

Logo na primeira prova, a francesa Laure Manadou fez marca melhor que o recorde sul-americano nos 200m costas. Claro que não fica no livre dos recordes, mas existe uma pontuação extra para recordes (campeonato, brasileiro, sul-americano e mundial) que acabam sendo fundamentais para a disputa entre as equipes.

Leo de Deus: e o melhor ainda pode estar por vir. Satiro Sodré.

Na versão masculina, Thiago Pereira acabou sendo surpreendido (por apenas UM centésimo!) pelo companheiro de treino do P.R.O. 16, Leonardo de Deus. Sexto e sétimo tempo deste ano. Ambos tem a vaga olímpica, mas Thiago não deve nadar esta prova em Londres para concentrar-se nos 200m medley. Prova que viu, pela primeira vez, 4 brasileiros nadando abaixo dos 2 minutos. Para quem não se lembra, Leonardo foi aquele que, no Pan do ano passado, venceu os 200m borboleta e acabou sendo desclassificado por uso de uma touca não aprovada. No fim, deu tudo certo e prevaleceu o bom senso. Aliás, sua melhor prova continua sendo os 200m borboleta… é aguardar para ver o que ele vai aprontar.

Ottesen ficou satisfeita com sua rápida performance. Satiro Sodré.

Nos 50m borboleta, Ottesen foi absoluta, abaixando a sua marca da manhã, que já era a melhor do ano. Cielo fez o mesmo, mas teve que abaixar o recorde sul-americano para bater (por 3 centésimos) o antigo recordista, Nicholas dos Santos. Ambos também fazem parte do Projeto Rumo ao Ouro 2016, que parece estar no rumo certo! Estas provas foram auxiliadas pelo forte vento da noite. Pois é, enquanto no atletismo recordes acabam não sendo homologadas caso o vento à favor seja maior que  2m/s, desconheço qualquer regra para piscinas abertas. Detalhe à parte, os 4 primeiros da versão masculina lideram o ranking mundial de 2012. Valeu até uma nota no JN.

Felipe, o Lima, acabou tirando a vaga que era, atpe esta manhã, de João Gomes Júnior. Satiro Sodré.

Os 100m peito feminino são a antítese do masculino. Enquanto neste, 5 (CINCO) atletas alcançaram o índice olímpico, naquele as brasileiras estão longe das melhores marcas alcançadas com os trajes tecnológicos. E a disputa do masculino acabou sendo acirrada até o final. Os Felipes, França e Lima, acabaram garantido as vagas. Lima fez sua melhor marca pela manhã e acabou a prova fora do pódium, mas o que vale para a seleção olímpica são os dois primeiros tempos, independente de quando são feitos. França nadou mais duas vezes abaixo do minuto, mas não ficou satisfeito, já que chegou no campeonato com ambição de recorde mundial.

Friis e seu braço reto. Assim como a compatriota, 3 provas, 3 vitórias.

Lotte Friis, outra dinamarquesa nadando pelo Corinthians, venceu com facilidade os 800m livre – prova em que é a atual bronze olímpica – e fez pontos importantes para o clube paulista, que agora está mais de 150 pontos à frente dos seus adversários. Aliás, foram as melhores contratações internacionais deste ano.

Para finalizar, um pouco de polêmica. Hoje assisti grande parte das finais e tive dúvidas se Jeanette Ottesen não passou do limite de 15m submerso permitidos pela regra, mas nem eu nem o Coach Alex Pussiledi, comentarista da SporTV, ficamos na dúvida quanto às duas pernadas, também irregulares, na saída de Tales Cerdeira na final dos 100m peito…


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo

Cielo e Fratus: 1-2 do mundo

O primeiro dia  de competições do Troféu Maria Lenk não viu seus atletas mais famosos: Cesar Cielo e Thiago Pereira, mas mesmo assim não passou em branco, com um índice olímpico e uma melhor marca de 2012.

Cielo (no meio) e os diferente estilos de saída. (Satiro Sodré)

Já nas eliminatórias, Bruno Fratus marcou a melhor marca do ano nos 50m livre, desbancando o Míssil australiano James Magnussen, deixando dúvida se o reinado de Cielo passaria para outro brasileiro. Ledo engano, Cielo mostrou toda sua superioridade, retornando ao topo do mundo e mandando outra mensagem para os demais velocistas mundo afora, com sua melhor marca sem os maiôs e ainda guardando 1% para Londres (ele raspou seu corpo apenas com máquina e não com gilete, como é de praxe).

Graciele Hermann deu trabalho para a dinamarquesa Jeanette Ottesen, e confirmou sua vaga para Londres, assim como Kaio Márcio e Daynara de Paula, nos 100m borboleta. Joanna Maranhão venceu a espanhola Mireya Belmonte, mostrando que a época em que os estrangeiros vinham para cá e faziam a festa vencendo tudo (muitas vezes com recordes e marcando mais pontos para seus clubes), passou.

Thiago: mais forte, mais magro e mais rápido. (Satiro Sodré)

O outro nome conhecido, Thiago, confirmou seu favoritismo, mas não escondeu que esperava mais que a segunda marca do ano nos 200m medley. O atleta acabou o ano passado em terceiro no mundo, mas longe dos dois primeiros (Ryan Lochte e Michael Phelps) – esperava ficar mais perto dos americanos. Já Henrique Rodrigues ficou contente com a segunda vaga na prova.


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo

Maria Lenk: mais rápido do mundo e índice olímpico para Cerdeira

Os destaques do primeiro dia do Troféu Maria Lenk foram Tales Cerdeira e Daniel Orzechowski. O primeiro garantiu sua vaga olímpica nos 200m peito e o segundo fez o melhor tempo do mundo nos 50m costas. Vamos a outras curiosidades e detalhes.

Tales cumprimenta Henrique Barbosa. Ambos estarão em Londres. (Satiro Sodré)

Tales tem uma história interessante. Para começar, é filho do ex-árbitro Cláudio Cerdeira. Segundo, teve um 2010 muito bom e um 2011 irregular. Para completar, estava com uma lesão na virilha (comum em nadadores deste estilo) pouco antes deste campeonato, tanto que agradeceu demais a equipe que o ajudou a recuperar em tempo recorde. Ele “tira” a vaga de Thiago Pereira (entre aspas porque Pereira já havia comentado que não iria nadar esta prova nas olimpíadas). Este tempo é o oitavo do ano.

Orzechowski em ação: mais rápido do mundo de costas. (Satiro Sodré)

Já Daniel bateu o recorde sul-americano, alcançado na era dos maiôs tecnológicos, e está no topo do ranking mundial deste ano e sexto da história (apenas o francês Camile Lacourt é mais rápido sem os maiôs!). O ex-recordista, Guilherme Guido, fez uma boa prova também e acabou em segundo. Mas o que importa para ambos, e também para Thiago Pereira, é que todos estarão nos 100m costas, esta sim, prova olímpica e que vale vaga para o revezamento 4×100 medley em Londres. Pelos tempos apresentados, podem esperar excelentes marcas.

Na sua primeira prova oficial após o suspensão por doping, Fabíola Molina venceu os 50m costas. Acredito que começar com esta prova foi perfeito para ela, pois poderá nadar mais tranquila sua especialidade e maior chance de vaga olímpica: os 100m costas.

João, careca, no pódium. Força dos times de futebol no primeiro dia. (Satiro Sodré)

Nos 200m livre, novos nomes como o vencedor João de Lucca, que fez uma boa temporada na natação universitária americana, e consistência no feminino, que poderá ter uma boa equipe nos 4×200m livre.


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo

Vai começar: Troféu Maria Lenk, a (pen)última chance para classificação olímpica

Começa amanhã de manhã a derradeira chance, para a grande maioria dos nadadores, de ver sua vaga olímpica garantida. A última, a Tentativa Olímpica (início de Maio), será apenas para as provas que ainda tem vagas em aberto. São 364 atletas de 39 equipes, onde o favorito deve ser o Flamengo (com seus 61 nadadores), brigando com Pinheiros (56), Minas (33) e Corinthians (41), ou seja, mais da metade dos inscritos apenas em 4 equipes do Sudeste…

O casal pinheirense, juntos na piscina e na malhação. (Erik S. Lesser/The New York Times)

Estatísticas à parte, será a chance de redenção de Fabíola Molina, após o episódio de doping, além de uma chance para ver grandes estrangeiros, como o casal Laure Manadou e Frederick Bousquet, ambos medalhistas olímpicos, representando o Pinheiros.

Outros estrangeiros:

  • Fiat Minas – Charlie Houchin (USA) e Carolina Colorado (Colômbia)
  • Fluminense – Esteban Enderica (Equador) e Jorge Murillo (Colômbia)
  • Flamengo – Miréia Belmonte (Espanha) e Eugene Godsoe (USA)
  • Unisanta – Julia Sebastian (Argentina) e Cecilia Biagioli (Argentina)
  • Grêmio Náutico União – Yousef Alaskari (Kuwait)
  • Corinthians – Jeannette Ottesen e Lotte Friis (Dinamarca)

Ottesen, atual campeã mundial: sentiu o gostinho de ouro e quer mais na sua 3a. olimpíada. (Getty Images)

Como perceberam, o cardápio de estrangeiros diversificou e ficou até interessante, com vários destes atletas vindo pela primeira vez para o Brasil. Talvez a curiosidade de saber o que acontece no pais da próxima olimpíada faça com que esta migração cresça no próximo ciclo olímpico.

Segue e lista daqueles que já alcançaram índice e estão entre os dois melhores de alguma prova (ou seja, se outro fizer tempo melhor, é este quem carimba o passaporte): Cesar Cielo, Thiago Pereira, Felipe França, Bruno Fratus, Henrique Barbosa, Nicolas Oliveira, Henrique Rodrigues, Kaio Márcio, Leonardo de Deus, João Júnior, Joanna Maranhão, Graciele Hermann e Daynara de Paula.

O campeonato vai passar ao vivo na Sportv.


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo

Seletiva russa: Zueva e o revezamento estão fortes!

Ao que tudo indica, os 100m costas feminino vai ser uma prova muito disputada. As nadadoras das 5 melhores marcas sem os maiôs tecnológicos podem estar em Londres e a distância entre elas é de apenas 24 centésimos! Anastasia Zueva, tomou o posto de melhor de 2012 de japonesa Terakawa, mas nada disso importa, e sim chegar na frente daqui a pouco mais de 3 meses…

Terakawa, Zueva e Franklin, será que repetem o pódium em Londres? (crédito: AP)

Outro destaque em Moscou foi 5 nadadores quebraram os 49s nos 100m livre, fazendo um forte time para Londres nos 4×100m livre. Apenas o americano Phelps está entre os 10 primeiros, com franceses, australianos e, agora, russos. Boa disputa aqui também, e o Brasil deve brigar nesta prova.

Outros destaques:

  • Velocidade também para Andrey Grechin, com a segunda marca do ano nos 50m livre.
  • Arkady Vyatchanin, bronze nos 100 e 200m costas em Beijing, foi para a Flórida (quem poderia dizer que isso poderia acontecer??) para treinar com Ryan Locthe.
  • Classificou-se, mas vai precisar de algo mais para repetir sua campanha chinesa.
  • Roman Sludnov, primeiro a abaixar do minuto nos 100m peito, vai para sua 4a. olimpíada.
  • As peitistas Anastasia Chaun e Yuliya Efimova podem dar trabalho.

Os russos, com Grechin no meio, querem repetir o feito do Europeu/2010, quando surpreenderam a favorita França. (RIA Novosti. Alexander Vilf)


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo

Seletiva sul-africana: 12 em Londres

Em Durban, o destaque foi o Rei do último circuito da Copa do Mundo de Natação (o nadador que mais ganhou, medalhou, pontuou), Chad le Clos pegando índice em 4 provas e ganhando outras tantas. Apesar deste relativo sucesso, não espero muito mais que algumas finais para o adversário de Thiago Pereira (200 e 400m medley) e dos brasileiros que forem disputar os 200m borboleta (temos já 3 que alcançaram o índice), esta a prova mais forte de le Clos.

Le Clos: 23 vitórias na Copa do Mundo não garantem uma em Londres. (crédito: Getty Images)

Os campeões olímpicos (no revezamento 4×100m livre em 2004), Roland Schoeman e Darian Townsend, conseguiram se classificar, mas não estão na sua melhor forma. Já Cameron van der Burgh, recordista mundial dos 50m peito (prova não olímpica) deve ser a esperança de medalha para o país, que passou em branco 4 anos atrás.

Van der Burgh quer provar que tem força sem os super-maiôs. (crédito: Gallo Images)

Eis o time olímpico:

  • Chad le Clos – 400m medley 4:13.86; 200 livre 1:47.20; 200m borboleta 1:56.17; 200m medley – 1:58.34
  • Suzaan van Biljon – 200m peito  2:25.89
  • Cameron van der Burgh – 100m peito  59.90
  • Riaan Schoeman – 400m medley  4:15.60
  • Heerden Herman – 400m livre 3:48.57
  • Kathryn Meaklim –  200m medley 2:13.33; 400m medley 4:37.70
  • Charl Crous – 100m costas  54.17
  • Gideon Louw – 100m livre 48.74
  • Darian Townsend – 200m medley  1:59.34
  • Wendy Trott – 800m livre 8:28.79
  • Roland Schoeman – 50m livre 22.08
  • Karin Prinsloo – 200m costas 2:10.74

Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo

Contagem regressiva: faltam 100 dias!

Não, não errei nem estou em nenhum CONfuso. Faltam 100 dias para a programação da natação iniciar em Londres 2012.

Esta imagem percorreu o mundo ontem. (Getty Images)

As competições vão do dia 28 de julho até 4 de agosto, sendo que as eliminatórias vão começar às 8:00 e as finais às 17:30 (horários de Brasília). Ou seja, ninguém vai ter que se sacrificar muito para acompanhar nossos atletas, ao contrário da última edição chinesa…

Achei estes dois vídeos bem bacanas sobre a data:

Os números impressionam.

Uma retrospectiva.


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo