Categorias
Gestão Esportiva Política

Projetos municipais receberão apoio técnico da Secretaria do Esporte e do Turismo

Publicado em 27/04/15, aqui

IMG_3255

Setenta projetos de fomento ao esporte elaborados por municípios de todas as regiões do estado apresentados durante o III Encontro de Gestores do Esporte, em Campo Mourão, região Centro-Oeste, nas últimas quinta e sexta-feiras, entram agora em fase de estruturação técnica para enquadramento à lei de incentivo ao esporte do governo federal. Discutidos durante o evento, realizado pelo governo do estado por meio da Secretaria do Esporte e do Turismo (SEET) e Sanepar, com apoio do Conselho Regional de Educação Física (CREF), Faculdade Integrado, Unespar e prefeituras, além do mourãoense Nelson Teodoro de Oliveira, os projetos receberão a consultoria de técnicos da SEET para adequação à lei.

Os projetos que se adequarem a todas as exigências técnicas também receberão apoio do governo do estado no momento da captação de recursos, numa parceria entre a SEET e a Secretaria do Planejamento, que atuarão como intermediárias entre as prefeituras e as empresas interessadas em investir no esporte paranaense.

“Pretendemos atingir com nosso projeto toda a população de assentados e acampados localizados em Rio Bonito do Iguaçu, cerca de 12 mil pessoas”, disse Rudney Brecailo, que apresentou a proposta do município durante as câmaras temáticas. Rio Bonito tem o maior assentamento da reforma agrária do país. Para Brecailo, o encontro superou as expectativas. “Estamos debatendo e participando”, disse.

IMG_3211

Palestras
Além das discussões específicas dos projetos, o encontro recebeu ainda palestras sobre vários temas ligados ao esporte. Antônio Eduardo Branco, presidente do CREF, falou sobre a importância da capacitação profissional de gestores e professores. Já o atleta Marcos Juliano Ofenbock, criador do Futsac, primeiro esporte 100% paranaense, apresentou a modalidade aos gestores.

Cases de sucesso

O secretário de Esportes de Campo Mourão, Ricardo Echelmeier, falou sobre a lei de incentivo municipal. Em vigor há mais de dez anos, a lei permite que pessoas físicas e jurídicas destinem parte do IPTU e ISS (Imposto Sobre Serviços) devidos ao município para o financiamento de projetos esportivos. Os projetos podem ser de formação esportiva; auxílio a equipes que representem Campo Mourão; atletas que morem na cidade e realização de eventos ou recuperação de espaços destinados à prática esportiva. Em 2015, os 22 projetos enquadrados na lei podem captar até R$ 795 mil.

Já a professora Tatiana Pedroso, de Toledo, falou sobre o Mais Vôlei, primeiro projeto do município aprovado pela lei federal de incentivo ao esporte. Ela destacou a necessidade de qualificação técnica do projeto. “Até mesmo um carimbo com a tinta fraca pode fazer o projeto ser recusado”, afirmou. Para Tatiana, um assessor de imprensa para a divulgação do projeto – e patrocinadores – e um contador para a correta prestação de contas são profissionais fundamentais para o sucesso do projeto.

Flavia Romagnoli, representante da Agência de Fomento do Estado, falou sobre as diversas linhas de crédito do órgão que podem ser destinadas à área esportiva. Ela lembrou que todos os municípios têm representantes da agência que podem auxiliar os municípios, pessoas físicas e jurídicas no processo de obtenção de crédito.

O último case de sucesso apresentado aos gestores foi de gestão compartilhada. Presidente da Federação Paranaense de Tae Kwon Do e técnico da seleção brasileira, Fernando Madureira falou sobre o projeto Tae Kwon Do nas UPSs. Realizado em parceria pela federação, Fiep e secretarias de Segurança, Educação e Esporte e Turismo, além de prefeituras, o projeto leva aulas da arte marcial às escolas em que estão instaladas as Unidades Paraná Seguro, postos da polícia militar localizados em regiões com altos índices de violência. Durante o encontro, cerca de 15 prefeituras se interessaram em levar o projeto para seus municípios.

banner-sitemedio

Rogério Romero
Na principal palestra do evento, o ex-nadador Rogério Romero, que participou de cinco olimpíadas e é o único brasileiro quatro vezes finalista dos jogos, falou sobre sua trajetória e a necessidade de se enfrentar as dificuldades impostas aos atletas brasileiros. Tendo também trabalhado com gestão pública de esporte no governo de Minas Gerais, Romero destacou o planejamento e a iniciativa como armas dos gestores para vencer os desafios do esporte. “O esporte permeia as áreas de saúde, educação e segurança”, ressaltou. “Cabe a cada um de nós fazer a valorização do esporte”, concluiu.

Lei de Incentivo
Marcelo Seixas, vice-presidente de Fomento do Instituto Cultural Ingá (ICI), instituição da sociedade civil de Maringá, falou sobre Lei de Incentivo e Elaboração de Projetos para Captação de Recursos. Para o gestor, o país está num bom momento para o esporte. As olimpíadas de 2016 farão o tema estar cada vez mais presente na mídia e na vida das pessoas. “É o momento de apresentarmos bons projetos”, disse. O presidente da Paraná Turismo, órgão da SEET, Jacó Gimennes, encerrou as atividades falando sobre a interligação entre esporte e turismo.

Para o secretário do Esporte e do Turismo, deputado Douglas Fabrício, o encontro cumpriu o objetivo. “Tivemos ampla participação dos municípios e temos convicção de que os gestores levarão não só boas ideias, mas projetos executáveis em suas cidades”, afirmou. “Conforme orientação do governador Beto Richa, estamos trabalhando sempre em busca de parcerias”, concluiu.

COM/SEET
Marcus Vinicius Schroeder
marcusviniciuss@outlook.com
Paulo Galvez da Silva
paulo_silva@seet.pr.gov.br
(41)3361-7708

Categorias
Gestão Esportiva Minas Tênis Clube

Gestão do Esporte: muito mais que uma luz no fim do túnel

Publicado em 09/15/15, aqui

rogerio_romero_fgv

Por Luiz Carlos Pessoa Nery

A grande notícia da semana para o esporte brasileiro foi a contratação de Rogerio Aoki Romero (foto) para assumir a Gestão de Esportes do Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. Especialista nos 200m costas, Romero é o único nadador brasileiro que participou de cinco edições dos Jogos Olímpicos, entre 1988, em Seul, e 2004, em Atenas. Foi finalista em quatro delas.

Muito mais do que a ampla experiência no esporte de alto rendimento, bem como sua formação profissional, o Minas aponta, com Rogério, o caminho da excelência esportiva (ainda mais…), não só por ser, juntamente com o Esporte Clube Pinheiros​, o clube que mais cede atletas olímpicos ao Time Brasil, mas por reforçar o campo da Gestão do Esporte com um profissional capacitado para este desafio gerencial.

Formado em Gestão Empresarial, Rogério Romero leva ao clube a sua vivência acadêmica aliada à pratica de gestor público, adquirida como secretário-adjunto de Esporte e da Juventude do Estado de Minas Gerais.

Essa iniciativa do clube mineiro é numa clara demonstração de visão do futuro esportivo no Brasil, e consciência da possibilidade de ampliação da cadeia de negócios, que tende a seguir, crescendo com seus parceiros. Para isso, leva em consideração todas as modalidades ativas que desenvolve, bem como no esporte de base, garantindo a renovação esportiva para os próximos anos.

O Brasil é um dos países com o maior número de instituições clubísticas do mundo. Nosso esporte olímpico tem na sua base a maioria dos atletas originários destas entidades. Infelizmente, estas instituições sofrem com a crise financeira motivada pelo péssimo modelo administrativo adotado atualmente.

Que este empreendimento realizado pelo clube mineiro sirva de reflexão e exemplo, podendo-se projetar o potencial de empregabilidade direta e indireta, quando visualizamos as ciências do esporte que compõem a gestão, fazendo uma transferência e contabilizando-se todos os clubes do país.

Ídolo da natação, gestor por excelência e larga cumplicidade ao clube, Romero é o nome certo para a condução deste cargo. Ganha o Minas, ganha o esporte mineiro e acima de tudo, o esporte brasileiro.

Luiz Carlos Pessoa Nery é doutorando em Gestão do Esporte pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ

Categorias
Gestão Esportiva Minas Tênis Clube

Rogério Romero é o novo gerente de esportes do Minas Tênis Clube

Oublicado em 07/04/15, aqui

Cinco vezes atleta olímpico, Rogério Romero tem tido destaque na área de gestão esportiva nos últimos anos. Atuou com suceeso como Secretário Adjunto  e Sub-secretário de Turismo e Esportes do Estado de Minas Gerais.

Agora, o próximo desafio de Romero vai ser comandar o esporte do Minas Tênis Clube. Ele assume na segunda-feira o cargo de gerente de Esportes do clube onde fez  a maior parte de sua carreira.

Veja a matéria do anúncio de Rogério Romero no website do MInas Tênis Clube clicando aqui.

Um golaço do Minas!

Categorias
Gestão Esportiva Política

Ex-atleta olímpico participa de evento em Campo Mourão

Publicado em 26/04/15, aqui

Natacao2015_Romero

O ex-atleta olímpico brasileiro Rogério Aoki Romero, que participou de cinco olimpíadas defendendo o Brasil na modalidade natação, esteve em Campo Mourão na sexta-feira (24/04) e proferiu palestra no 3º Encontro de Gestores Públicos do Esporte do Paraná,  promovido pelo Governo do Estado do Paraná, por meio da Secretaria do Esporte e Turismo, no Teatro Municipal.
Romero falou para um número expressivo de dirigentes, vindos de cidades de todas as regiões paranaenses, sobre o tema “Gestão Pública Esportiva: Um Desafio Olímpico”.
Após encerrar a carreira como atleta, o paranaense de Londrina, radicado desde 1991 em Belo Horizonte, foi Secretário Adjunto de Turismo e Esportes do Estado de Minas Gerais. Inclusive recentemente recebeu Título de Cidadania Honorária da Capital Mineira. Atualmente trabalha como consultor de negócios na área esportiva, mais precisamente na natação, onde competiu por tantos anos e fez sua história no esporte.
Romero avaliou positivamente o evento, a iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Esporte e Turismo, por unir os gestores municipais e estar compartilhando um pouco dos projetos, aproximando-se da realidade de cada município na área esportiva.
“Foram repassadas informações que podem gerar uma expectativa muito positiva no que diz respeito ao trabalho em cada município, por meio principalmente da alternativa da busca de recursos para a manutenção dos trabalhos esportivos. Muitas vezes um município faz muito mais com muito menos, falando-se em valores dependendo da formação de boas parcerias”, destaca Romero.
Categorias
Gestão Esportiva

Novo comando – Rogério Romero é o novo gerente de Esportes do Minas

Publicado em 07/05/15, aqui

rogerio-romero

O ex-atleta olímpico e ex-secretário-adjunto de Turismo e Esportes de Minas Gerais Rogério Romero é o novo gerente de Esportes do Minas Tênis Clube. Com extenso currículo e sólida experiência na área esportiva, que inclui graduação em Gestão Empresarial, MBA em Gerenciamento de Projetos e especialização em Gestão de Negócios Esportivos, além de reconhecida atuação como atleta profissional, Rogério assume, a partir da próxima segunda-feira (11/5), o desafio de comandar os nove esportes do Minas.

“Acredito que meu principal desafio como gerente de Esportes do Minas será lidar com uma organização que já tem a excelência em tudo que faz, principalmente no esporte, e manter esse patamar. Essa será uma cobrança natural, já que é sempre esperado que as equipes esportivas do Minas estejam entre as principais do País. Tenho como meta dar continuidade a essa trajetória de sucesso”, destacou Rogério Romero.

Rogério Aoki Romero nasceu em 22 de novembro de 1969, em Londrina (PR), e acumulou importantes conquistas como atleta profissional. Como nadador, ele é o único brasileiro a participar de cinco Olimpíadas, sendo finalista em Seul (1988), Barcelona (1992), Atlanta (1996) e Sydney (2000), e semifinalista em Atenas (2004). Em 27 anos de carreira como atleta, o novo gerente de Esportes do Minas garantiu 29 recordes sul-americanos e 41 recordes brasileiros, foi campeão pan-americano em Havana (1991) e Santo Domingo (2003), recordista mundial máster nos 200m costas em piscina olímpica, decacampeão sul-americano, 15 vezes campeão do Troféu Brasil de Natação e participou de dez Campeonatos Mundiais. Ele defendeu o Minas Tênis Clube, de 1991 a 2000 e de 2001 a 2004, e passou também por Associação Cultural e Esportiva de Londrina, Clube do Golfinho, Coral Springs Swim Club e Clube de Regatas do Flamengo.

Como gestor, Rogério acumula experiências como subsecretário de Esportes, secretário-adjunto da Secretaria de Esportes e da Juventude e secretário adjunto da Secretaria de Turismo e Esportes de Minas Gerais; conselheiro nacional do Esporte; presidente do Fórum Nacional dos Secretários e Gestores Estaduais de Esporte e Lazer; consultor de negócios da Myrtha Pools Brasil; e consultor de negócios da Metodologia Gustavo Borges.

Categorias
Gestão Esportiva Política

Sudesb define planejamento estratégico para o PPA 2016 -2019 do Estado

Publicado em 30/04/15, aqui

sudesb

Em reunião realizada nesta quinta-feira 30 (manhã e tarde), na tribuna de honra do Estádio Metropolitano de Pituaçu, dirigentes, assessores e técnicos da Superintendência de Desportos do Estado da Bahia (Sudesb) definiram as linhas-mestras do planejamento estratégico para o Plano Pluriaanual (PPA 2016-2019) do Estado.

Autarquia vinculada à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), a Sudesb contratou para orientar esta ação o consultor Rogério Romero ex-secretário de Estado-Adjunto de Turismo e Esportes e ex-presidente do Fórum de Secretários e Gestores Estaduais de Esporte e Lazer (Fonseel).

Proposta – Secretário estadual do Trabalho e Esporte, Álvaro Gomes abriu os trabalhos falando da sua proposta em tratar o esporte na Bahia “como fator de inclusão, justiça social e desenvolvimento humano” e sugeriu que as propostas sistematizadas no encontro sejam preparadas para ser apresentadas na próxima semana ao governador Rui Costa.

Diretor geral da Sudesb, Elias Dourado destacou o balanço positivo do esporte na gestão anterior que “ampliou a infraestrutura com mais oportunidades de atividades esportivas e de lazer nos municípios baianos”. Chefe de gabinete da Setre, Jorge Wilton exortou o grupo “a produzir uma boa política pública, que atenda aos anseios da população”.

Metodologia – Com base em uma metodologia de planejamento estratégico, o consultor Rogério Romero orientou a equipe da Sudesb a definir prioridades, objetivos e traçar o mapa estratégico da autarquia nos próximos quatro anos. “A partir das análises de cenários internos e externos (com dados e fatos) foi possível dar uma configuração visual de tudo que foi definido  e, em especial, a visão e a missão da Sudesb”, conclui.

Consultor Rogério Romero é o único nadador brasileiro finalista em quatro edições dos Jogos Olímpicos (Seul, Barcelona, Atlanta e Sidney); e primeiro nadador no mundo a participar de cinco edições dos Jogos Olímpicos (1988, 1992, 1996, 2000 e 2004).

Ascom Setre

 

Categorias
Clipping Myrtha

Ícone da natação Rogério Romero apresenta projeto para primeira piscina olímpica do Tocantins na UFT

Publicado em 23/02/15, aqui

Por Caroline Falcão

O esporte tocantinense pode comemorar mais esta conquista. Foi apresentado na tarde desta segunda-feira (23) pelo ícone da natação Rogério Romero o projeto da primeira piscina olímpica do estado, que será construída do Câmpus de Palmas da Universidade Federal do Tocantins (UFT). O único nadador brasileiro a participar de cinco olimpíadas e duas vezes campeão pan-americano, atualmente é consultor de negócios da Metodologia Gustavo Borges e da Myrtha Pools Brasil.

O projeto apresentado durante reunião na Reitoria é de uma piscina olímpica pré-fabricada em placas de aço inox, coberta por vinil e importada da Itália, que segundo Romero possui custo mais baixo e menor demanda de tempo para a instalação – cerca de seis meses – em comparação com outros modelos. “Os equipamentos e estrutura da piscina são todos formulados dentro dos padrões internacionais e utilizam uma tecnologia sustentável com reaproveitamento de 90% da água, além de economia em energia elétrica e produtos químicos”, explicou o atleta.

UFT2

O reitor da UFT, Márcio Silveira, enfatizou que a piscina vai ser um espaço de treinamento tanto para os estudantes quanto para os os atletas tocantinenses da  comunidade em geral de Palmas e região, e um incentivo a mais para prática desportiva. “A piscina será um atrativo para a realização de competições no circuito inter e intraestadual de natação, levando a criar novos atletas no estado”, ressaltou.

Os recursos para a construção da piscina são do Ministério dos Esportes e destinados às capitais brasileiras, o que justifica a escolha do Câmpus de Palmas. Quanto a valores, somente os equipamentos importados para a piscina terão um investimento de cerca de 1 milhão e 600 mil dólares. Já o valor da infraestrutura será orçado conforme processo de licitação das obras a ser realizado em breve.

UFT

 

A construção da piscina faz parte do Legado Social dos Jogos Olímpicos – Brasil 2016, que inclui também a uma pista de atletismo, cujo contrato para a construção foi assinado em dezembro de 2014, e uma quadra poliesportiva, cujo projeto deve ser lançado nos próximos meses.

Categorias
Clipping Myrtha

Primeira piscina olímpica do Tocantins será construída em Palmas

Publicado em 23/02/15, aqui

A primeira piscina olímpica do Tocantins será construída no Câmpus da Universidade Federal do Tocantins (UFT), em Palmas. Nesta segunda-feira (23), o reitor da universidade, Márcio Silveira e o diretor de obras civis da UFT, João Batista Teixeira se reuniram com o ex-nadador olímpico, Rogério Romero, consultor de uma empresa italiana que trabalha com estrutura de piscinas. Na oportunidade, Romero apresentou ao reitor um projeto de piscina olímpica para a universidade.

img_9588

Além da piscina, já está em construção uma pista de atletismo e conforme o reitor, o projeto faz parte de uma ação do Ministério do Esporte, que pretende implantar pistas de atletismo oficiais e piscinas olímpicas em todas as capitais brasileiras que ainda não têm essas instalações.

– É um ótimo projeto. Vamos correr para começar o quanto antes os trabalhos. Acredito que começamos ainda neste semestre. Temos a intenção de chegar em novembro ou dezembro com tudo concluído. Há 95% de chances da piscina ser construída em frente ao bloco da reitoria. A pista está sendo instalada na entrada da universidade – disse o reitor.

Silveira informou ainda que para esta estrutura olímpica foram disponibilizados R$ 13 milhões. R$ 4 milhões para piscina e R$ 9 milhões para a pista.

– É um dinheiro que vem do Ministério do Esporte para o esporte. É exclusivo para esta área. A estrutura será uma boa para os acadêmicos que cursam educação física em Miracema do Tocantins, pois estão próximos de Palmas e vão ser muito bem beneficiados com isto. É uma maneira também de incentivar o esporte olímpico dentro da universidade – afirmou.

 Conforme Romero, a estrutura é um legado importante e irá incentivar o estudante a participar de esportes olímpicos no estado.

img_9577

– É  uma piscina olímpica pré-fabricada em placas de aço inox, e é importada da Itália. É um ótimo projeto para o estado. O Tocantins poderá receber qualquer tipo de campeonato nacional – contou.

Carreira

O atleta é o único nadador brasileiro a participar de cinco Olimpíadas, foi campeão Pan-Americano em Havana (1991) e Santo Domingo (2003) e é recordista Mundial Master nos 200m costas em piscina olímpica (2m02s). Além disso, Romero tem 29 recordes sul-americanos e 41 recordes brasileiros estabelecidos em 27 anos de carreira esportiva. Foi 15 vezes campeão no Troféu Brasil de Nataçãa, hexacampeão sul-americano, finalista olímpico em Seul (1988), Barcelona (1992), Atlanta (1996) e Sydney (2000) e semi finalista em Atenas (2004) e tem participação em 10 Campeonatos Mundiais.

Categorias
Assuntos Gerais Livro Natação

Sonhos não têm limites?

A segunda resenha que tenho é sobre Carlos “Wizard” (mudou o sobrenome em uma jogada de marketing muito agressiva). Este empreendedor nato, soube passar por diversas dificuldades, muitas relatadas no livro Sonhos não têm limites. O caminho percorrido, de percalços, sacrifícios, foram superados por uma vontade incomum de ter sucesso nos negócios. Qual? Não importa, o empreendedor estava destinado a, junto com muito esforço, sua grande família e sua fé inabalável, chegar lá.

CarlosWizard_capa_v1_p.indd
Fé, muita fé.

 

Pois não é que atleta tem disso também? Contrariando todas as previsões, algum garoto do interior, entra em um clube sem a estrutura ideal; com uma equipe formada por nadadores amadores e atletas buscando algum espaço; seu técnico teve outros bons nadadores, inclusive alguns medalhistas estaduais, mas nada que o credenciasse a formar um atleta olímpico; tem que dividir seu tempo entre os estudos, treinos de madrugada, algum tempo no ônibus (ou a carona de algum amigo), abrir mão da diversão das noites com sua turma; nadar, enquanto todos estão pulando o Carnaval; bem, você já pegou o espírito.

O episódio que mais me impressionou no livro foram os 3 anos que Wizard se afastou dos negócios para atender a um chamado de sua igreja. Isto quase custou o trabalho de uma vida, mas, novamente, sua fé inabalável o fez acreditar que aquilo era o melhor para aquele momento. Os anos seguintes mostraram que ele (e seus filhos) estava certo, mas a história poderia facilmente ser outra e ele estaria reerguendo algum outro império.

IMG_20140420_124638
Solidão, muita solidão.

 

Gostamos de assistir ou ler sobre a infância de atletas desfavorável, mas e aqueles que têm à sua disposição as melhores condições desde o início? Aprenderam a nadar da maneira correta, com boa técnica, com poucos vícios para corrigir no futuro. Tiveram uma nutrição boa, um preparador físico que respeitou a maturação e na piscina uma equipe coesa, onde o técnico dava estímulos e conduzias os treinamentos de maneira acertada. Estes não têm mérito? Afinal, apesar de tudo isso, se ele não treinar, se dedicar, o resultado não vem…

Veja aqui 6 maneiras de levar sua natação ao limite.

Mas parece que é justamente por ser difícil que há a valorização. Cada conquista significa um avanço. Cada melhoria no ambiente significa um novo desafio, a inovação necessária no mundo corporativo, para continuar a progredir.

E os limites? Ou realmente não há limites? O minuto nos 100m livre foi quebrado pelo Tarzan, depois os 50s, 49s e já estamos em 46s com o brasileiro Cesar Cielo! Alguém aposta qual seria?

Bom Carnaval a todos!

Para aqueles que tem familiaridade com uma matemática mais avançada.

 

Categorias
Clipping Myrtha Natação

Em visita a São Luís, ministro George Hilton também assumiu o compromisso de reformar o Parque Aquático

Publicado em 06/02/15, aqui

Ginásio para diversos tipos de modalidades, pista de atletismo e piscina olímpica. Esses são os três equipamentos esportivos que o governo federal pretende disponibilizar nas 27 capitais brasileiras para estruturar e massificar o esporte no país. Em São Luís, no Maranhão, dois desses espaços foram inaugurados na quinta-feira (05.02) e outro será reformado em breve.

O ministro do Esporte, George Hilton, participou da entrega da pista de atletismo da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), pela manhã, e dos novos equipamentos de basquete – piso flutuante, apontadores, tabelas e placares – do ginásio Georgiana Pflueger, o “Castelinho”, pela tarde. George Hilton também assumiu o compromisso de revitalizar o Parque Aquático do Complexo Esportivo Canhoteiro, que tem uma piscina olímpica (50 metros) e outra para saltos ornamentais, com plataformas de 3, 5 e 7 metros.

050215saoluis_natacao_7052pm

Parque Aquático

Os nadadores Gustavo Borges e Rogério Romero acompanharam a comitiva do Ministério e do governo estadual durante a visita ao Parque Aquático, localizado ao lado do ginásio “Castelinho”. Os ex-atletas apresentaram um projeto de piscina olímpica, que é pré-fabricada, com placas de aço inox, coberta por vinil e importada da Itália. Com custos mais baixos e menor demanda de tempo para a instalação – cerca de seis meses – esse tipo de equipamento deve ser usado nos Jogos Rio 2016 e será instalado em espaços como o Centro Paraolímpico e o clube Pinheiros, ambos em São Paulo.

O medalhista olímpico Gustavo Borges afirmou que a piscina é o primeiro passo para atrair a população para o local e difundir a prática do esporte. “Você tendo a piscina, a população, a base e o alto rendimento podem usá-la. O equipamento é o início do trabalho, porque se ele é adequado as pessoas são atraídas. Conheço várias cidades que têm fila de espera para a prática da natação. Temos que criar a cultura esportiva, mostrar para a população que existe um lugar, divulgar e ter bons profissionais para atender a todos”, analisou Borges.

Antes das visitas ao Parque Aquático e ao ginásio Georgiana Pflueger, o ministro do Esporte conheceu o gramado do estádio de futebol Castelão, acompanhado pelo governador do estado e pelos pentacampeões mundiais Cafu e Edmílson. Os ex-atletas e George Hilton arriscaram algumas cobranças de pênaltis em uma brincadeira com crianças de escolinhas que utilizam o campo do estádio. O local, com capacidade para 40 mil pessoas, integrou o catálogo da FIFA para Centros de Treinamento da Copa do Mundo.