ABIH tagged posts

ABIH MG comemora o sucesso da II Edição do Congresso Mineiro de Hotelaria

Publicado em 12/11/2013, aqui

abih

A ABIH comemora o sucesso da II Edição do Congresso Mineiro de Hotelaria que ocorreu entre os dias 30 de outubro e 01 de novembro, no Minascentro, em BH/MG. Com temas referentes à hotelaria em geral, o Congresso contou com a presença de fornecedores e empresas prestadoras de serviços de vários setores, além de construtoras, hoteleiros, engenheiros, arquitetos, designers, prefeituras, secretarias do interior de Minas Gerais e profissionais da área de turismo e gastronomia.

Prestigiaram a solenidade de abertura as principais lideranças do trade turístico do estado e nacional como o Presidente da ABIH Nacional, Sr. Enrico Fermi Torquato; o Secretário do Estado de Turismo, Sr. Agostinho Patrus, o Presidente da Belotur, Sr. Mauro Werkema, a Presidente da ABIH MG, Sra. Patrícia Coutinho; o Presidente do BHC&VB, Sr. Antônio Claret Nametala; o Presidente da ACMinas, Sr. Roberto Fagundes, o Presidente do Sindhorb, Sr. Paulo Pedrosa; a Diretora da Tecnitur, Sra. Maria Elisa Ordones; o Secretário de Estado Adjunto de Esportes e da Juventude, Sr. Rogério Romero; o prefeito em exercício, Sr. Delío Malheiros; e Agmar Abdon, do Sebrae.

Nesta ocasião da abertura foi enfatizada a importância da ampliação do maior espaço para eventos no estado de Minas Gerais, o ExpoMinas, que é fundamental para gerar fluxo nos 52 novos hotéis que serão inaugurados na capital mineira.

por Marcos Alvim

Leia o texto completo

Doping no Brasil: nadador olímpico e mais duas

Notícia triste para a natação brasileira: saiu na imprensa hoje que 3 atletas foram pegos no exame antidoping, entre eles um da seleção nacional olímpica.

Glauber: saiu do céu para um inferno astral.

Glauber Silva havia garantido sua vaga na última seletiva e teve ainda que aguentar a morte do seu pai ontem. Seu clube, o Minas, já teve outra atleta olímpica envolvida com doping, Fabíola Molina.

Flávia Delaroli, do Pinheiros, esteve em duas olimpíadas e havia anunciado que estava pendurando o maiô após não conseguir sua 3a. vaga olímpica.

Pâmela Silva, do Corinthians, teve um dos seus resultados mais expressivos no último campeonato brasileiro, quando sagrou-se campeã nos 200m peito.

Independente do resultado do painel que vai se reunir na próxima terça, das justificativas dos nadadores, técnicos e médicos, seus nomes já estão manchados.

Não por acaso, venho divulgando todos os casos neste espaço. Talvez a informação não chegue devidamente aos atletas e tampouco a punição exemplar aos demais envolvidos. Mesmo a CBDA criando uma diretoria para o assunto, com  cartilhas do COB, a dissiminação ainda é pequena e seu dissernimento ainda menor.

Cielo sofreu muito durante seu processo.

Acredito que, com a vitória do sediamento olímpico, este problema deveria ser tratado com a devida atenção no Brasil. Aqueles que almejam nadar na piscina olímpica do Rio daqui a 4 anos podem ser alvo fácil para as tentações que existem, afinal o doping é apenas mais uma forma de se drogar – quem conhece os benefícios (sem considerar o dano à saúde), tem dificuldades de sair.

Enquanto a sociedade discute em profundidade o crack, o doping avança lentamente e leva os sonhos de jovens atletas a uma carreira marcada pela desonestidade – mesmo que esta não seja a verdade. O descuido existe, assim como ocorreu com Fabíola e Cielo, por exemplo.

Você sabia o que estava tomando, Lance?

Recentemente até as incríveis façanhas de Lance Armstrong na Volta da França foram colocadas à prova (novamente) e os casos deste ano na natação mundial foram da Argentina para a China, passando até pela Índia, que não tem tradição alguma no esporte.

Fica aqui o alerta: cuidado com a suplementação galera!


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo