Categorias
Competição Natação

Japão: mais jovens fazendo sucesso

Precocidade sempre foi presente nos nadadores(as) japoneses. Kyoko Iwasaki ainda é a mais jovem a vencer uma prova (200m peito, Barcelona, com 14 anos e 6 dias).

Runa Imai, apenas 12 aninhos, ficou “apenas” em 3a. nos 200 peito (esta prova de novo), mas seu tempo de 2:25.14 quase entraria na final olímpica. Além disso, ela ficou atrás de Rie Kaneto, que bateu a prata olímpica Satomi Suzuki.

s_pg61akihiro
Akihiro Yamaguchi, apenas 18, exibe seu diploma de recordista mundial dos 200m peito. O que o Japão faz para ter tanto sucesso neste estilo??

Outro jovem, Kosuke Hagino, 18, foi impedido de sair imbatível do campeonato por Ryosuke Irie. Este foi prata no Mundial nos 200m costas com 19 anos, prova que bateu Hagino.

Ao final do nacional, várias boas marcas dão uma boa impressão para o Japão. Lembrando que eles saíram de Londres com 11 medalhas, atrás apenas dos americanos, mas como nenhuma foi dourada, poucos valorizaram o feito.

Não será surpresa de vê-los na piscina olímpica do Rio, daqui a 3 anos.

 

Categorias
Foto

Próxima parada: Troféu José Finkel

Treinar, viajar e competir. Após Londres, os atletas geralmente quebram esta rotina. Para aqueles que tiveram sucesso: entrevistas, fotos, autógrafos. Para os que participaram: descanso, família, análise.

Pois os nadadores olímpicos não vão ter muita folga não, à partir de segunda já está em disputa o Troféu José Finkel – o Brasileiro de Inverno, com a participação de 445 atletas de 46 clubes. Os que vão disputar o título (Pinheiros, Flamengo, Corinthians e Minas Tênis) tem quase metade dos atletas da competição, sobrando uma média de menos de 6 nadadores aos clubes restantes.

A chorona Inge Dekker voltou com a prata de Londres. (AP)

Ao contrário do Maria Lenk, as contratações estrangeiras foram bem mais comedidas, apenas o Minas (com os holandesas Fred Heemskerk e Inge Dekker) e o Flamengo (com as australianas Mariecke Guehrer e Kelly Subbins). Estas foram contratadas através da agência de Cielo, a Cielo Sports.

A disputa vai até o próximo fim de semana quando, finalmente, nossos olímpicos terão o merecido descanso.


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero