Blog do Coach tagged posts

Natação em alta

Recentemente Missy Franklin apareceu entre os 10 atletas com maior potencial de retorno a patrocinadores (leia mais no Blog do Coach). Não entendo a metodologia, uma vez que a multi-campeã oferece com sua simpatia ímpar – e sorriso idem – realmente uma boa imagem para praticamente qualquer segmento. No entanto, ela optou por abrir mão dos contratos milionários para poder participar da experiência de ser uma nadadora universitária. Segundo o regulamento do NCAA, ela não pode ter nenhum patrocinador, sob pena de perder sua elegibilidade, ou seja, não competir nem treinar pela equipe da universidade da Califórnia.

malaysia_laureus_awards_yus04

Missy: poderosa, toda poderosa.

Na sua programação, deve perder milhões por mais um ano,  quando vai se dedicar exclusivamente para o Rio – as olimpíadas. Após esta pesquisa, ela terá uma ideia melhor dos milhões que está sacrificando em torno de uma carreira esportiva universitária.

Leia no Blog Esporte Fino porque ela foi considerada a melhor atleta de 2013.

Além dela, os nadadores aparecem no topo de outra pesquisa. Um site de relacionamento virtual (namoro) considerando o corpo de esportistas, o dos nadadores sobressaiu. Eles estão atrás dos jogadores de futebol e, no imaginário feminino, são os surfistas quem tem os melhores corpos.

Jesus-Casanova2

Casanova: medalhas na piscina, troféus fora.

Mais, o nadador Jesus Casanova venceu o Mister Venezuela e vai disputar o Mister World no próximo mês.

Por fim, a emocionante resposta de Beatriz Nantes a um crítico australiano. Vale a leitura do melhor esporte do mundo.

Leia o texto completo

De volta!

Ano novo, site novo, blog novo!

Primeiro, aproveito para mais uma vez agradecer a oportunidade que o Ig me deu. Os 200 primeiros posts que estão aqui são reprodução (infelizmente sem os comentários) do Blog que continua hospedado lá.

Captura de Tela 2013-03-07 às 10.48.01

Segundo, os temas aqui vão ser um pouco mais variados do que apenas natação, incluindo um pouco de política (do esporte, claro), música (não, não toco nada) e assuntos gerais. Vou me permitir escrever quando possível (as respostas aos comentários tentarei ser mais assíduo) e também misturar os temas.

Não pretendo ter textos muito elaborados como o excelente blog Ephicurus, muito menos ter a quantidade de notícias do Blog do Coach que são hoje, junto com o Swim It Up!, as referências que tenho na natação (e também curtir um saudosismo no primeiro).

Enfim, ainda estou migrando dados, fotos, notícias, etc. então ainda vai estar meio beta por enquanto, OK?

É isso. Deixo aqui embaixo Bring It Back Again, do Stray Cats. Não é da melhor fase, mas garantia de diversão…

 

 

 

 

Leia o texto completo

Sétima final: recorde mundial e bronze para Cielo

Não deu. Cesar Cielo não conseguiu imprimir seu ritmo usual e dominar a prova. Não sei até que ponto que atrapalhou, mas a saída demorou um pouco para ser dada. De qualquer modo, foi demorada para todos os oito finalistas, inclusive para o campeão olímpico. Florent Manadou, o mais novo de uma série muito experiente (média de 27 anos, 9 medalhas olímpicas, apenas os dois mais novos, ele e Bruno, não tinham…) melhorou na hora certa.

Jones, Manadou e Cielo: mais uma surpresa vinda de Londres.

Jones, Manadou e Cielo: a cor da medalha não era o que todos esperavam.

Agora, ele e sua irmã Laure, devem ser os primeiros irmãos nadadores campeões dos Jogos Olímpicos. Além disso, já dão uma campanha inédita para a França, colocando o país na terceira posição no quadro de medalhas da natação, com 4 ouros, 2 pratas e um bronze.

A prata ficou com Cullen Jones, com o mesmo tempo da semi. Fratus ficou a dois centésimos de Cielo. Pelas redes sociais, os nadadores brasileiros que estavam torcendo reclamaram do barulho da torcida. Ouvi o vídeo, mas entre o “take your marks” e a saída, não pude ouvir nada demais (para não falar nada).

Missy e Beisel: que fofas, 6 medalhas em Londres.

A tarde começou com um incrível recorde mundial nos 200m costas, com Missy Franklin. Depois viu outro tri, provavelmente a última vitória (de 17 ouros, não percam a conta) individual de Michael Phelps, mesmo ele tendo nadado pior que ontem e errando um pouco. Em segundo, o Rei da Copa do Mundo, Chad le Clos, e o russo Evgeny Korotyshkin (com este nome, não podia ser japonês).

Le Clos e Phelps: felizes com seus resultados.

E na última final, apesar de toda torcida para o bi da inglesa Becky Adligton, ela acabou mais uma vez com o bronze. Vencendo, a menina de 15 anos (não, não é chinesa) Katie Ledecky, quase estabelecendo nova marca mundial. Entre elas, a espanhola Mireia Belmonte, que sai com duas pratas nas seis provas que ela nadou.

Ledecky: "oh my God". Como é americana, um talento.


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo