Henrique Rodrigues tagged posts

Mister Pan

Atletas são movidos a desafios, metas cada vez mais audaciosas. Quem diria que um dia, com a competição cada vez mais globalizada e sem o domínio absoluto da época de Spitz, alguém bateria o absurdo recorde de ouros olímpicos em uma edição?

Fato é, Michael Phelps mudou a lógica da especialização da natação e, com o sucesso dele, vieram Ryan Lochte, Kosuke Hagino e, para ficar apenas nestes famosos, a dama de ferro Katinka Hosszu. Esta, aliás, colocou toda teoria de recuperação demorada e resultados em poucas competições no ano abaixo.

E ai temos Thiago Pereira. No mesmo patamar mundial nas provas de medley (requisito quase básico para esta grande verstilidade), Mr Pan confirmou a expectativa e tornou-se o maior medalhista da história dos Jogos Pan-americanos. Assim como em 2012 com Phelps, desbancou a ginástica do topo (embora o cubano ainda permaneça com o recorde de ouros). Sem dúvida, um feito e tanto!

Mas o script não saiu como ele queria. Primeiro o drama de ser desclassificado na prova da sua medalha olímpica, os 400m medley. Depois perder os 200m peito e, por fim, o tri dos 200m medley. Não dá para reclamar (muito). Na primeira, concretiza a promessa de renovação nas provas de fundo, com o recorde mundial júnior de Brandonn Almeida. Segundo, o nado peito foi sua primeira grande frustração, lá atrás em Santo Domingo. Hoje, mas maduro, ele absorveu bem melhor. Por fim, como reclamar que perdeu do terceiro melhor tempo do mundo de Henrique Rodrigues, com a quarta marca do ano?

Thiago foi, Dona Rose.

Que venha Rio 2016!!

Piu-e-Thiago-TB03-435x650

PS1: Etiene, sou seu fã!

PS2: Parabéns à delegação como um todo!!

Leia o texto completo

Três para o Brasil

E o Brasil se deu bem, no Troféu Sette Colli, em Roma, saindo com 3 medalhas no primeiro dia.

Nicholas Santos e Thiago Pereira tiveram boas disputas nos 50m borboleta e 200m medley, com o ucraniano Andrey Govorov e com o húngaro Lazlo Cseh. Nicholas ainda saiu com o recorde da competição, enquanto que Thiago, que já tinha o recorde, teve a companhia de Henrique Rodrigues.

Mas o sábado também deu mais medalhas, desta vez para a natação feminina, e em Canet, com Daynara de Paula e Alessandra Marchioro, nos 100m borboleta e nos 50m livre.

Todos os 5 atletas estiveram em Londres, e estas competições servem de preparação para o Mundial de Barcelona, que começa no final do próximo mês.

phoca_thumb_l_15_pom_fin_aa48968

Florent Manadou também esteve lá, nadando rápido os 100m livre…

Os campeões olímpicos Camille Muffat (200 e 400m livre) e Florent Manadou (100m livre), Daniel Gyurta (200m peito) e Ranomi Kromowidjojo (50m borboleta – não tinha um sobrenome mais fácil não?) venceram na Itália.

Já na França, Jeanette Ottesen, que nadou esteve no último brasileiro, e Katinka Hosszu (que apesar de estar competindo em dezenas de provas nas últimas semanas, conseguir melhorar sua marca nos 200m medley) foram dois dos destaques.

 

Leia o texto completo

Troféu Maria Lenk: Minas campeão

Uh! Eu detonei, cadê o Pinheirão?

O Minas Tênis Clube é o virtual campeão 2013 no Campeonato Brasileiro Absoluto. Pinheiros e Corinthians devem completar os 3 melhores times amanhã.

henrique

Henrique Rodrigues: Positivo e operante.

Hoje tivemos mais 4 índices para o Mundial. Os medalhistas olímpicos Cesar Cielo e Thiago Pereira, foram surpreendidos por Nicholas dos Santos (23:05) e Henrique Rodrigues (1:57.37), ambos por 11 centésimos, nos 50m borboleta e nos 200m medley, respectivamente. Com exceção de Cielo, os demais alcançaram índices. Os 4 estão entre os top 5 do mundo destas provas em 2013.

Joanna Maranhão confirmou mais um índice, agora nos 200m medley, com 2:14.29.

Juan-Pereyra-acquires-Mens-800m-freestyle-gold-Day-four-Maria-Lenk-Trophy,-Rio-de-Janeiro-150620

Juan: vitórias difíceis para o fundista argentino radicado em BH.

Juan Pereyra, que deve estar em sua última temporada aos 33 anos, fez sua melhor participação nas várias edições que disputou, vencendo os 400, 800 e 1500m livre, embora tenha visto seu compatriota Martin Naidich ser o maior protagonista, com os recordes sul-americanos nas distâncias maiores.

 

Leia o texto completo

Primeira eliminatória: primeiras surpresas

O dia começou bem para o Brasil e estranho para os demais. Thiago Pereira confirmadíssimo para a grande final dos 400m medley, primeira prova olímpica com várias surpresas. Em primeiro? Claro, o japonês Hagino Kasuke, 17, com recorde asiático. Peraí, claro? Pois é, nem Phelps, nem Lochte. Enquanto primeiro classificou apenas com a 8a. marca (será que tá arrependido de ter saído dos 200m livre?), fez uma prova irregular. Ficou de fora o prata de Pequim, Lazslo Cseh. É, não dá para vacilar… e Thiago pode sim subir ao pódio!

Kasuke: seu apostadores vão torcer demais.

A segunda prova foi ruim para a brasileira Daynara de Paula, que acabou fora da semi, mas boa para Dana Vollmer, que estabeleceu nova marca olímpica para os 100m borboleta com 56s25.

Vollmer: primeiro recorde, melhor marca sem maiôs tecnológicos. (Reuters)

Os 400m livre deixaram para trás o atual campeão olímpico, Tae Hwan Park, e o recordista mundial, Paul Biedermann. Após muito tempo, saiu o motivo da desclassificação: saída em falso. Prova sem sal, com favoritismo para o chinês Sun Yang.

Outra surpresa ruim para o Brasil, foi a saída de Joanna Maranhão dos 400m medley. A informação é de um corte no supercílio, fruto de um escorregão. Melhoras Joanna.

A rainha compareceu no Parque Aquático pela manhã. (AP)

Os 100m peito viram os 2 brasileiros passarem para a semi com os dois últimos tempos. Não tem problema, como lembrou Phelps, o importante é passar de fase, cada uma delas é outra prova. Sorte para os Felipes, pois os 100m peito foi bem disputado, mas se ambos melhorarem suas marcas, podem estar na final.


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo