Minas Tênis Clube tagged posts

Entrevista Rogério Romero Bom Dia Minas

Leia o texto completo

De olho em 2016

Publicado em 12/07/2014, aqui

image

PUBLICADO EM 11/07/14 – 10h32
O desfecho melancólico da seleção canarinho na Copa do Mundo e o sentimento de terra devastada que tomou conta dos milhares de torcedores brasileiros que viram uma derrota acachapante diante da seleção alemã, em pleno Mineirão, por 7 a 1, ficou apenas dentro campo.
O sucesso do Mundial em Belo Horizonte foi notório e já deixa saudades. Mas não por muito tempo. Terminada a Copa, os olhares se voltam para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, que contará com BH como uma das subsedes do torneio de futebol olímpico (masculino e feminino), ao lado de São Paulo, Salvador e Brasília.
Os Jogos Olímpicos de 2016 receberão cerca de 200 delegações internacionais de atletas, 11 mil atletas olímpicos, 4,5 mil paralímpicos, 40 mil jornalistas e 70 mil voluntários e, parte dessa fatia, pode ser destinada a Belo Horizonte e outras oito cidades do interior mineiro que foram habilitadas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) a receber as comitivas esportivas. Será mais uma grande possibilidade de intercâmbio cultural, fomento da economia e turismo local e, principalmente, a troca de experiências entre atletas locais e internacionais e entre equipes multidisciplinares.
Por oferecer excelentes opções de locais de treinamentos para atletas de alto rendimento, Belo Horizonte foi a primeira cidade do Brasil a assinar um memorando de entendimento com um comitê olímpico estrangeiro para ser local de preparação e aclimatização de atletas para a disputa dos Jogos. Além disso, há possibilidades de o Mineirão ser palco de partidas de futebol masculino e feminino durante a Rio 2016. “Termos Belo Horizonte como uma das cidades que receberão jogos de futebol para as Olimpíadas contribui para movimentar a economia local e incentiva o turismo, assim como vimos na Copa”, afirma Rodrigo Zuquim Macedo, superintendente de Esporte e Lazer do Sesc Venda Nova, cujo Campo Oficial de Treinamento (COT) já recebeu as seleções do Brasil, Chile e Bélgica e vive a expectativa de receber novas delegações daqui a dois anos.  “Agora, a expectativa é continuar trabalhando para que esse nível de visibilidade positiva que adquirimos na Copa continue elevado e produza resultados em termos de atração de turistas e novos negócios para estimular ainda mais o desenvolvimento da cidade e do Estado”, destacou Camillo Fraga, secretário municipal extraordinário da Copa do Mundo.
Intercâmbios e legados
Ainda durante a Copa, antes de assistir ao jogo Inglaterra x Costa Rica, no Mineirão, o príncipe Harry, quarto na linha de sucessão ao trono britânico, junto aos representantes da Associação Olímpica Britânica (British Olympic Association) e da Associação Paralímpica Britânica (British Paralympic Association), esteve no Minas Tênis Clube e no Centro de Treinamento Esportivo da UFMG para ratificar o acordo de cooperação.
A parceria com as delegações britânicas olímpicas e paralímpicas abre precedentes para possíveis legados sociais, econômicos e educacionais. O acordo inclui o compromisso de criar programas de intercâmbio e de compartilhar expertise e conhecimento nas áreas de ciências do esporte e medicina, educação e treinamento, marketing, mídia e áreas comerciais para o benefício mútuo e desenvolvimento do esporte olímpico brasileiro e britânico. “Criamos uma relação de confiança com o comitê britânico e o fato de serem a terceira maior potência olímpica nos aproximou muito dessas pessoas para trocarmos experiência e nos espelharmos nos resultados alcançados por eles. O grande legado é a troca de experiência, o intercâmbio de atletas e o aprendizado”, afirma o presidente do Minas Tênis Clube, Luiz Gustavo Lage.
De acordo com ele, o clube – que conta com oito modalidades com profissionais de alto rendimento esportivo, 1.200 jovens na base e tem tradição na formação de atletas – já possui instalações físicas e aparelhagem que atenderão os mais de 80 atletas olímpicos britânicos e paralímpicos. “Alguma coisa eles irão trazer e, caso haja necessidade de melhoramentos, eles seriam feitos pelos britânicos e ficariam para o nosso clube. Porém, o mais importante é o impulso que isso nos traz no sentido do trabalho sistêmico e integrado também com outras esferas para o esporte crescer”, conta.
Inspiração para a garotada
O prata da casa Otávio, central da equipe de vôlei do Minas, que já disputou jogos pela seleção brasileira, destaca a vinda dos britânicos. “Esse intercâmbio será importante para todos dentro do clube. Principalmente para a garotada da base, que terá oportunidade de ver de perto atletas olímpicos e com uma experiência internacional, motivando cada vez mais esses novos talentos a acreditar nos sonhos e treinar mais para alcançá-los”.
Assim como o jovem atleta, o secretário adjunto de Esporte de Minas Gerais, Rogério Romero, único nadador brasileiro a disputar cinco Olimpíadas (de 1988 a 2004), vê com bons olhos a vinda de comitivas do esporte para cá. “Para os atletas mirins que estão começando, é uma oportunidade única presenciar uma Olimpíada no país e ver grandes atletas treinando no Estado. Eles perceberão que a distância não é tão grande assim com os atletas de alto rendimento e poderão ver de perto esses profissionais. Outro ponto chave será o intercâmbio de atletas e das equipes especializadas e multidisciplinares”.
Além do Minas, o Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) receberá parte dos atletas olímpicos e paralímpicos britânicos. O local tem uma pista de atletismo com certificação internacional e possui aparato para receber atletas de alto rendimento. O seu parque aquático deve estar pronto no fim de 2014 e terá uma piscina de 50m, além de um projeto de criação de um pavilhão esportivo.  “Com o restante das obras concluídas, teremos um dos melhores e mais bem equipados CTs do país. Por isso, a perspectiva é que fechemos pelo menos com mais uma delegação tanto olímpica quanto paralímpica. Isso será fundamental para que nossos atletas cresçam nesse intercâmbio com os profissionais do esporte de outros países”, declara o diretor do CTE da UFMG, Bruno Pena Couto. Outro espaço que também será utilizado por atletas britânicos de tiro esportivo no período preparatório dos jogos olímpicos será o Clube Mineiro de Caçadores (CMC) de Santa Luzia, Região Metropolitana de BH.
INTERIOR TAMBÉM ATRAI COMITÊS
Com centros de excelência no esporte de alto rendimento, não é só a capital mineira que se destaca para receber comitivas de atletas estrangeiros. Minas Gerais aparece entre os cinco Estados mais bem preparados para serem anfitriões de delegações olímpicas de outros países. E comitês e associações olímpicas de outros países, como França, Japão, Austrália, Canadá, Itália e até a China, teriam sinalizado interesse em ficar em cidades do Estado, segundo o secretário adjunto de Esporte de Minas Gerias, Rogério Romero.
Das 73 cidades brasileiras selecionadas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) no processo para cadastramento e seleção de locais de treinamento pré-jogos nas Olimpíadas, as cidades mineiras de Uberlândia, Juiz de Fora, São Sebastião do Paraíso, Varginha, Barbacena, Governador Valadares, Poços de Caldas e Viçosa, além da capital BH, foram credenciadas para receber delegações estrangeiras.
De olho nessa possibilidade, Juiz de Fora e Uberlândia pularam na frente, visando o intercâmbio cultural de seus atletas com profissionais do esporte de outros países e, ainda, o impulso econômico e a expansão do comércio, hotéis, bares e restaurantes locais.
E a localização de Juiz de Fora pode ser um diferencial para a escolha da cidade por uma delegação estrangeira. “Geograficamente, estamos muito próximos do Rio e isso facilita a vinda de atletas estrangeiros para cá no período pré-olimpíada. Outro fator que pode nos ajudar são as obras da BR–040, que têm previsão de estarem prontas antes de 2016. Com a nova pavimentação, estaremos a 1 hora e 40 minutos de carro dos locais onde haverá as competições”, afirma o secretário de Esporte e Lazer de Juiz de Fora, Francisco Canalli.
Ainda segundo Canalli, a cidade está se preparando para 2016 e tem ótimas expectativas. “Acredito que teremos um aquecimento das conversas com alguns comitês esportivos após o término da Copa. Temos ótimos espaços, como as instalações esportivas do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, o Ginásio do Colégio Metodista, o Poliesportivo Antônio Marcos Nazaré Campos, que está em construção, e o Complexo Esportivo da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Outro parceiro é o clube Tupinambás, que tem quadras de vôlei, basquete e handebol. Nosso objetivo também é fomentar intercâmbios da Associação Desportiva de Juiz de Fora, para levarmos nossos atletas para fora para aprenderem e melhorarem os seus desempenhos”, ressalta.
China e Canadá
De acordo com o diretor da Faculdade de Educação Física (Faefid) da UFJF, Maurício Bara, a universidade acredita que pelo menos uma delegação seja direcionada para a instituição, já que foi procurada pela delegação de atletismo da China e associações olímpicas e paralímpicas do Canadá.  “Estamos muito empenhados para trazer delegações estrangeiras para a Rio 2016. Em 2010, foi feita uma reforma completa de nossa pista de atletismo, colocamos um piso sintético e foram construídas outras quadras. Há também projetos em andamento de construção de andares específicos para lutas e ginástica. O nosso foco é o atletismo e temos conversas adiantadas com a delegação olímpica chinesa de atletismo. Outra delegação que nos procurou foi a canadense, tanto a olímpica como a paralímpica, que nos informou que as comitivas teriam no total mais de 120 atletas de alto nível”, diz.
Irlandeses fecham com Uberlândia
A cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, já firmou um memorando de entendimento com as delegações olímpicas e paralímpicas da Irlanda e se prepara para receber cem atletas olímpicos e 80 paralímpicos, além das comissões técnicas e equipes multidisciplinares. A cidade conta com estruturas esportivas de excelência, com destaques para a estrutura da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e para o complexo do Parque do Sabiá e Arena Tancredo Neves. Além disso, há um parque aquático previsto para ser entregue no fim de 2014, e a cidade tem ainda como referências locais como o Sesi Gravatás e o Praia Clube, um dos maiores clubes desportivos da América Latina. “Poderemos oferecer estrutura adequada para a comitiva irlandesa no atletismo, na canoagem, no ciclismo, na natação, no pentatlo moderno, no remo, no rugby e no triatlo para os esportes olimpicos. Para os paralímpicos, há estrutura adequada para o atletismo, a canoagem, o ciclismo, o futebol, a natação, o remo, o tênis de mesa, o tiro esportivo e o triatlo”, esclarece Pedro Castro Mendes, diretor de turismo de Uberlândia.
Outro aspecto dos preparativos para receber as delegações olímpicas e paralímpicas da Irlanda são os possíveis investimentos em aparelhagem esportiva por parte dos irlandeses e, ainda, a troca de experiências entre atletas locais. “De acordo com o que foi firmado, haverá um aporte financeiro para melhoramentos e investimentos em nossas aparelhagens que ficarão como legado para a cidade. Estamos preconizando a permuta de serviços também, ou seja, intercâmbio de nossos atletas – receberemos e enviaremos atletas mirins. Temos previsão para cursos e um legado cultural. Há, inclusive, negociações sobre treinamentos compartilhados com outras delegações e isso pode atrair mais países que podem fazer aqui amistosos preparatórios para os Jogos Olímpicos”, diz Mendes.
Segundo Rogério Romero, a captação de delegações estrangeiras para treinarem nos centros esportivos da capital e outras cidades do Estado pode alavancar investimentos em aparelhagem desportiva. “Tudo vai depender das demandas e o Estado poderá ter projetos de investimentos. Mas acredito que os equipamentos e aparelhagens para os atletas de altíssimo nível precisariam de poucas mudanças, salvo em algumas modalidades, com por exemplo, a de saltos ornamentais, que necessita de um grande tanque e que poderia ser realizado na Academia de Polícia do Estado”, conta

Outras cidades candidatas a receber delegações

Barbacena O Centro de Treinamento da Escola Preparatória de Cadetes (Epcar) poderá receber delegações estrangeiras nas modalidades de esgrima e judô.

Santa Luzia Clube Mineiro dos Caçadores – atletas da delegação britânica do tiro esportivo usarão as dependências do clube para treinamento.
Poços de Caldas A Sociedade Hípica Chácara Flora poderá receber atletas internacionais do hipismo. Já o Clube de Remo de Poços de Caldas tem prevista a construção de uma raia olímpica de 2000 m até o fim de 2015 e já tiveram sondagens de atletas estrangeiros do remo.
São Sebastião do Paraíso A Arena Olímpica João Mambrini, que já sediou a Copa América de Basquete sub-18 masculino, possui estrutura completa para receber mais de cem atletas. Possui quadras para esportes coletivos e academias estruturadas. Algumas delegações estrangeiras já procuraram o executivo municipal para visitação da Arena.
Varginha O Clube Campestre de Varginha poderá receber atletas estrangeiros do tênis. O clube conta com 11 quadras de tênis sendo cinco cobertas.
Governador Valadares A Estação Conhecimento Governador Valadares é composta por piscinas, quadras, campos de futebol, pista de atletismo com seis raias, academias e vestiários completos. O centro de treinamento poderá receber uma delegação estrangeira inteira.
Viçosa O Centro de Treinamento Esportivo da Universidade Federal de Viçosa possui alojamentos adequados, academias e ampla área para exercícios ao ar livre. Além disso, o CTE de Viçosa conta com a melhor e mais completa estrutura para a modalidade de levantamento de peso no país. Toda a aparelhagem foi importada recentemente da Suécia e, agora, dirigentes do CTE esperam fechar com atletas estrangeiros do levantamento de peso.

 

 

Leia o texto completo

Quem quer ver o melhor do mundo? De graça?

Quem quiser ver Cristiano Ronaldo ou Messi, mesmo num campeonato nacional polarizado entre as duas equipes que representam, vai ter que pagar no mínimo 224 reais até mais de 5 mil! Alguém pode justificar que um jogo entre os melhores do mundo vale a pena e pelo jeito apenas 200 sócios não pensam assim e preferem colocar seus ingressos à venda (fora os cambistas, claro).

camp_nou_51-1024x682

Camp Nou: onde está a vaga ?

As Olimpíadas de Londres tiveram uma procura de 1,8 milhão para a final dos 100m rasos (leia-se: Usain Bolt). Estádios lotam para ver os astros das ligas americanas. F1 (Nascar, Stock Car e outras corridas) e UFC também tem o seu glamour, atraindo uma legião de fãs fiéis.

Diria que a natação está em um estágio intermediário dentro do interesse do brasileiro comum, muito por conta dos resultados nas últimas olimpíadas, quando saímos com medalhas. Thiago Pereira e Cesar Cielo são conhecidos e reconhecidos, mas a seleção não depende apenas dos resultados deles. Temos atletas treinando nos Estados Unidos sim, como sempre, e fazendo sucesso lá, mas nadadores espalhados por clubes (poucos) em alguns estados auxiliam no disseminação do interesse.

Washington Metropolitan Swimming & Diving Championships

Será este o futuro de competições com a presença de Cielo?

E assim chegamos ao melhor tempo do mundo nos 50m livre feito no Campeonato Metropolitano, no Minas Tênis Clube, entrada gratuita. Quem diria? Não posso acreditar nem que o próprio Cielo imaginava algo assim logo nos seus primeiros dias em Belo Horizonte. Talvez uma boa esperança após o bom resultado nos 100m livre no dia anterior, mas brindar o público que compareceu ao Parque Aquático com 21.74 foi demais. Ninguém poderia prever um início mais promissor.

20140321233030813822i

Cielo: público ainda não condizente com seus resultados.

A FAM, para ficar apenas na Federação, tem condições de capitalizar um pouco também neste momento único da entidade. Quem sabe até conseguir alguns patrocinadores para alavancar a modalidade no estado? Afinal, apesar do resultados de nível internacional, a competição não oferecia nem medalhas para os melhores colocados…

Veja aqui o melhor tempo do mundo.

Leia o texto completo

Cielo no Minas

Quem me segue sabe que tento elaborar um pouco mais no título e nas fotos, mas esta notícia tinha que ser como seu protagonista: rápida!

Sim, após especulações, o Minas Tênis Clube tem um campeão olímpico e recordista mundial. Segundo as informações preliminares, o contrato é de 3 anos, coincidindo com o ano olímpico. Nada mais oportuno para ambos os lados.

f_236543

O atleta estava sem um clube brasileiro para chamar de seu desde a saída do Flamengo. Demorou, alguns chegaram a comentar. Certo é que ele vai encontrar além de uma boa estrutura, um técnico que já fez campeões e recordistas mundiais. A troca dos Scott – Goodrich por Volkers – foi decisiva para a escolha.

Do lado do clube mineiro, ótima oportunidade para reforçar sua equipe, marcar importantes pontos em revezamentos, mas também para ativar ainda mais seus patrocinadores.

Sou (muito) suspeito, mas acredito nesta parceria e espero que os maiores frutos venham exatamente daqui a 3 anos.

Leia o texto completo

E os nossos campeonatos regionais, como vão?

Hoje estive no Minas Tênis Clube por duas ocasiões e unidades distintas.

De manhã, acompanhamos Laurinha numa apresentação (que já está na 17a. edição anual) do curso básico do clube. Como todo Festival, medalha para todos, com direito a sorvetinho. Antes deste final agradável, estresse por ela não querer entrar na piscina de jeito nenhum. Após muito custo, fez um pequeno “solo” (grato a todas as professoras pela imensa paciência). Enfim, tudo foi preparado para ser uma experiência bacana, que a criança goste e sinta bem. Para os pais, aviso do horário aproximado, para não ficar a manhã inteira por conta de poucos minutos de apresentação.

IMG_2876

Notem os olhos vermelhos.

Já à tarde, acompanhamos, por acaso, o campeonato mineiro de natação que estava sendo realizado na piscina olímpica do Minas 1. Poucos rostos conhecidos, mas queríamos que a Beatriz pudesse sentir um pouco do clima de competição, afinal provavelmente ela vai passar por isso.

Minha decepção foi perceber que nada de consistente mudou. Apenas os atletas e poucos familiares nas arquibancadas. Clima morno nas disputas, sem nenhuma informação fora o placar. Ao menos as músicas de ambiente, no meu entendimento, melhoraram.

Não acredito que a nova direção da Federação Aquática Mineira seja a culpada exclusiva desta situação, até porque conheço seu presidente a também o vice, este o ex-nadador olímpico Rodrigo Castro, mas que há margem para novas tentativas, isso há. Os problemas de sempre, grana e voluntariado entre eles, são agravados pelo fato da FAM estar devedora desde a época dos bingos…

1236450_691878397506932_1405295747_n

Mauro e Rodrigo, na difícil missão de gerenciar sem grana – e voluntariamente. (Facebook)

Enquanto a FINA divulga números recordes para o ultimo Mundial de Esportes Aquáticos, fruto de um planejamento e novas frentes de trabalho. Ninguém pode reclamar que eles não estão mudando para acompanhar a evolução natural dos esportes.

Também vi parte do VT da Copa do Mundo de Tóquio hoje (a performance de Chad le Clos merece um post sozinho), onde fica claro o cuidado para vender o evento para televisão, valorizando os patrocinadores, mas também com uma competição compacta, rápida.

Ao menos o dia terminou bacana, com a foto abaixo. Através de um pequeno bate papo com o pai de Anne Gabrielle, ambos trabalhando no mineiro, soubemos que a foto foi tirada há 17 anos atrás…

1450121_745323575493881_1713407219_n

A pequena Anne tem hoje 22 anos e vai se formar no fim do ano em fisioterapia. (Facebook)

 

Leia o texto completo

Inauguração do Centro de Memória do Minas Tênis Clube

Publicado em 10/13, aqui

img_7292-280

(Foto Orlando Bento-divulgação)

O novo Centro de Memória do Minas Tênis foi inaugurado no dia 30 de setembro, às 20h, com a exposição Minas Tênis Clube: Várias Histórias. A cerimônia oficial contou com a presença de membros da Diretoria e do Conselho Deliberativo do Clube, autoridades municipais e estaduais, além de profissionais da área de museus e arquivos. O novo espaço abriu suas portas para sócios e para o público belo-horizontino em geral a partir de 1º de outubro e funcionará de terça a sábado, das 10h às 20h, e domingos e feriados, das 11h às 19h. O Centro de Memória integra o Centro Cultural Minas Tênis Clube, que inclui o já inaugurado Teatro Bradesco; Galeria de Arte, que será inaugurada no dia 22 de outubro; salas multimeios; além de dois cinemas e Biblioteca, que entrarão em operação até 2014. Reunindo vasto acervo de diferentes tipologias – objetos, fotografias, documentos textuais e filmes, a exposição Minas Tênis Clube: Várias Histórias tem o objetivo de contar a rica história do Minas, de 78 anos dedicados ao esporte, à formação esportiva, à educação, ao lazer, ao convívio social e à cultura e que ganha novo e instigante olhar ao se evidenciar as interseções dessas histórias com a história de Belo Horizonte.

 

Leia o texto completo

De olho no futuro, preservando o passado

Nestes último dias, tive três casos interessantes de como a memória esportiva é importante.

Vou começar pelo caso triste. Num encontro com estudantes de educação física, mencionei que Minas estaria recebendo Sebastian Coe. Desafiando a plateia, perguntei inocentemente se eles sabiam de quem se tratava, aguardando desde as respostas mais simples (foi um corredor), para as mais completas (Lorde, conduziu o comitê organizador Londres 2012, etc). Mas, para minha decepção total, NINGUÉM sabia de nada. Pensei comigo, este é o futuro de professores de educação física e de alguns técnicos, inclusive de atletismo!

ak4vy5piro8j20j1tm0c4o6bk

Joaquim Cruz na histórica vitória em cima do branquelo Seb Coe.

Os outros dois são legais. O primeiro é o Hall da Fama da Natação Brasileira, iniciativa de alguns abnegados da natação (incluindo este que escreve) para homenagear no democrático espaço virtual, aqueles que fizeram história. Esta semana foi a vez do terceiro escolhido: Djan Madruga. Recheado de fotos, vídeos e outras referências, o texto elaborado por Fernando Cunha Magalhães é primoroso nos detalhes e curiosidades deste super atleta.

Nado-Livre-No3-1979-1

Destaque na extinta Nado Livre – tinha esta edição também.

Por fim, ontem tive a grata surpresa de conhecer o novo e inovador espaço do Minas Tênis Clube. O Centro de Memória foi ousado: indexou tudo. Sim, tudo. Quem for minastenista e teve alguma nota, entrevista, está lá. Impressionante. Uma galeria com troféus e outras peças escolhidas a dedo, dando o devido destaque às conquistas mais recentes, sem esquecer do passado também glorioso que deu alicerce para que tudo isso acontecesse.

minas memoria

Vídeo com todos os atletas olímpicos que o clube teve.

Duas iniciativas que merecem ser replicadas.

 

Leia o texto completo

Finkel 2013: Minas tricampeão (corrigido)

image

Femke, mas pode me chamar de Mrs. Relay.

Sim, sei que ainda não acabou, mas também sei que a diferença que o clube mineiro está dos paulistas Corinthians e Pinheiros dificilmente vai se reverter na derradeira etapa.

Até a quinta etapa, com quase 600 pontos à frente do anfitrião, 36 medalhas, sendo 16 douradas, os atletas mais eficientes (que mais pontuaram, por enquanto, porque Léo de Deus, com a muito provável vitoria amanhã nos 200 costas, deverá terminar com 125 pontos), o Minas já garante seu oitavo título, ainda longe dos 12 de Pinheiros e Flamengo.

E as 5 vitorias em 8 provas de hoje, sendo mais um pódio completo (400 livre), aumentaram ainda mais a vantagem.

Veja aqui uma matéria interessante para entender melhor a saída de Nicholas dos Santos.

Ontem nem escrevi porque os resultados foram os esperados. Hoje também, mas foi mais legal, com o empate nos 50 borboleta entre Daynara e Daniele; a saída animal do Nicholas dos Santos que garantiu ouro muito fácil e liderança provisória em melhor performance; o bronze do Thiago Pereira nos mesmos 50 borboleta; mas para mim, o destaque maior foi da holandesa Femke.

Primeiro ela ganhou os 200 medley e estava satisfeita com sua marca. Depois disputou a final dos 400m livre, onde saiu sem medalha, talvez se poupando para a melhor performance da competição no revezamento 4×100 livre, saindo exatos 2s atrás do então líder Pinheiros, para fechar quase 2s na frente do Sesi, segundo colocado. Tempo? 52.7! 53.2!! Depois de ter nadado duas provas e no friozinho de SP…

Leia o texto completo

Homenagem

Judô-visita-ao-vice-governador

Publicado em 17/05/2013, aqui

A equipe Belo Dente/Minas recebeu uma placa de homenagem do vice-governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, e do secretário-adjunto de Esportes, Rogério Romero, em cerimônia na tarde desta quinta-feira (16/5), na Cidade Administrativa. A equipe foi homenageada pela conquista dos títulos de campeã geral, campeã no feminino e campeã no masculino do Troféu Brasil de Judô, realizado na Arena Vivo, nos dias 4 e 5 de maio.

Participaram da cerimônia os atletas medalhistas na competição nacional Ketleyn Quadros, Mariana Silva, Istelina Silva, Vinicius Sakamoto, Luciano Corrêa, Bruno Altoé e Hugo Pessanha, o técnico Floriano Almeida e o chefe do Departamento de Judô do Minas, Sergio Cota. Além dos atletas e comissão técnica, estiveram presentes o presidente do Minas Tênis Clube, Sergio Bruno Zech Coelho, e o vice-presidente do Minas, Murilo Eustáquio Santos Figueiredo.

O vice-governador parabenizou os judocas e destacou a importância do Minas para o esporte no País. “É sempre uma satisfação recebê-los, o Governo sente-se lisonjeado de ter um clube vitorioso como o Minas, que carrega o nome do nosso Estado com muita honra. Parabéns a todos por mais essa grande vitória, que esse encontro ainda se repita por muitas vezes”, discursou Alberto Pinto Coelho.

O presidente do Minas Tênis Clube, Sergio Bruno Zech Coelho, agradeceu o apoio do Governo. “Nós estamos aqui também para agradecer por todo apoio e incentivo que recebemos do nosso Governo. Estamos orgulhosos dos nossos atletas e nosso objetivo é continuar lutando por grandes resultados”, afirmou.

Representando os atletas, a medalhista olímpica Ketleyn Quadros falou sobre as conquistas da equipe. “Estamos muito felizes com essa vitória, agradecemos aos diretores do Clube, pela oportunidade e por acreditarem no judô, e ao Governo, que está sempre atento ao esporte. A nossa forma de retribuir é continuar crescendo e buscando novas conquistas”, falou a judoca da Belo Dente/Minas.

Os títulos – Na disputa do Troféu Brasil de Judô, a Belo Dente/Minas ficou com todos os títulos da competição: o de campeã geral, campeã no masculino e campeã no feminino, garantidos com a conquista de seis medalhas de ouro, uma de prata e cinco de bronze. O Troféu Brasil é a maior competição nacional interclubes da modalidade e os títulos de campeã geral e no feminino foram inéditos para a equipe minastenista, que já havia conquistado o título no masculino por outras duas vezes, em 2003 e 2009.

As medalhas de ouro da Belo Dente/Minas foram conquistadas por Nathália Brígida (-48kg), Ketleyn Quadros (-57kg), Mariana Silva (-63kg), Vinicius Sakamoto (-66kg), Eduardo Bettoni (-90kg) e Luciano Corrêa (-100kg). A única prata da equipe ficou com Hugo Pessanha (-100kg). E os bronzes vieram com Istelina Silva (+78kg),  Alex Pombo (-73kg), Marcos Seixas (-73kg), Felipe Soares (-81kg) e Bruno Altoé (-100kg).

Homenagens – A Belo Dente/Minas recebeu diversas homenagens pela conquista do Troféu Brasil de Judô. Atletas e comissão técnica foram recebidos e parabenizados pelo vice-presidente do Minas, Murilo Eustáquio Santos Figueiredo, na terça-feira da última semana (17/5), na Unidade I. Também participaram do encontro o diretor de Judô do Minas, Carlos Henrique Martins Teixeira; o diretor de esportes do Minas, Luiz Gustavo Miranda Lage; e o diretor de Marketing e Comunicação do Minas, Eduardo Mineiro.

Aos gritos de “é campeão!”, a Belo Dente/Minas também desfilou pelas ruas de Belo Horizonte (MG), em carro aberto do Corpo de Bombeiros e, na sequência, atletas e comissão técnica participaram de almoço de confraternização. Ainda na última semana, mais um dia de festa para a equipe, desta vez no dojô, no CTJK (Minas I), com a presença do presidente da Belo Dente, patrocinadora da equipe, Luiz Antônio Ladeira.

Campeonato Brasileiro Sub-18 – Neste fim de semana (18 e 19/5), judocas da Belo Dente/Minas disputarão o Brasileiro Sub-18, que será realizado no Ginásio do SESI, na Bahia. A equipe contará com os atletas Paula Clark, Kamilla Silva, Sarah Nascimento, Robson Penna, Douglas Amaral, Lélio Puggina Júnior, Fernando Ramos, André Humberto e Thiago Souza, comandados pelos técnicos Floriano Almeida e Alexandre Katsuragi.

Saiba mais sobre o patrocinador: www.belodente.com.br

Leia o texto completo

Campeões da natação visitam o Governo de Minas

Publicado em 30/04/13, aqui

alberto-pinto-coelho-recebeu-a-equipe-campea-pela-nona-vez-do-trofeu-maria-lenk_g_g_box

Crédito: Gil Leonardi.

O vice-governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, recebeu, nesta terça-feira (30), no Palácio Tiradentes, ao lado do secretário de Estado de Esportes e da Juventude, Eros Biondini, a equipe Fiat/Minas de natação. A equipe foi campeã pela nona vez do Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação/Troféu Maria Lenk, disputado, na última semana, no Rio de Janeiro. Os atletas e técnicos estavam acompanhados da diretoria do Minas Tênis Clube.

O vice-governador parabenizou pela conquista e destacou a importância do esporte não só para os jovens, mas para todo o Estado.

“O esporte é um instrumento essencial não só na formação dos jovens, mas também no fortalecimento da identidade de um povo. A conquista de vocês é de todos os mineiros. Parabenizo e agradeço o esforço de cada um. O Governo de Minas, nos últimos dez anos, tem sido referência na gestão pública, e o incentivo constante ao esporte é uma das nossas obsessões. E, assim como vocês, cada recorde ultrapassado nos estimula a pensar no próximo”, disse o vice-governador Alberto Pinto Coelho.

Líder do campeonato desde as primeiras provas, a Fiat/Minas fechou a competição com 2.245,5 pontos. O vice-campeão foi o Pinheiros, com 1.757,5 pontos, seguido pelo Corinthians, com 1.462,5. Na disputa por sexos, a equipe minastenista foi campeã no feminino, com 1.301,5 pontos, seguida por Corinthians, com 736,5, e Sesi-SP, com 702. No masculino, a equipe minastenista foi a vice-campeã, com 944 pontos. O campeão foi o Pinheiros, com 1.092, e o terceiro lugar ficou com o Corinthians, com 726. A atleta Frederike Heemskerk, que nadou pela Fiat/Minas, foi a mais eficiente da competição, com 235 pontos. Pelo lado dos homens, Juan Pereyra foi o segundo mais eficiente, com 114 pontos, atrás de Leonardo de Deus (118).

O vice-presidente do Minas Tênis Clube, Murilo Figueiredo, agradeceu o apoio do Governo do Estado nos diversos segmentos esportivos.

“A equipe do Minas, cada vez que se destaca numa conquista, fazemos questão de estar aqui juntamente com o governo. Agradeço o apoio do Governo de Minas nas diversas modalidades esportivas e, mais uma vez, parabenizo nossa equipe por mais essa conquista”, destacou Murilo Figueiredo.

A equipe Fiat/Minas teve ainda Nicolas Oliveira e Felipe Lima, classificados para o Mundial de Barcelona, que será disputado de 20 de julho a 4 de agosto. O atleta olímpico Nicolas Oliveira falou em nome da equipe.

“É um orgulho enorme estarmos aqui. E podemos garantir que nosso esforço vai continuar dentro das piscinas”, enfatizou Nicolas.

Leia o texto completo