Categoria Gestão Esportiva

IX JORNADA CIENTÍFICA Presidente do Minas, Luiz Gustavo Lage, fala dos desafios após dois anos de sua gestão

Publicado em 25/01/2016, aqui

2b4b5113_760x428

Nesta segunda-feira, as Gerências de Esporte, Educação e Multidisciplinar de Apoio ao Esporte do Minas Tênis Clube deram início à nona edição da Jornada Científica, que tem como tema “Preparação integral do atleta olímpico: fase final”. As palestras são realizadas no Teatro Bradesco, na Unidade I.

A abertura do evento contou com a presença do presidente do Minas, Luiz Gustavo Lage; do superintendente do Clube, Marcos Jerry; além de diretores e gerentes. A IX Jornada Científica contará ainda com mesas redondas, palestras e workshops. O evento terá a presença de importantes profissionais da área. Nesta segunda-feira, os principais palestrantes foram Rogério Romero, gerente de Esportes do Minas, e Carlos Antonio da Rocha Azevedo, diretor adjunto de Natação e da Parceria MTC-BOA/BPA).

O presidente Luiz Gustavo Lage mandou o recado aos participantes do evento. “Temos grandes desafios e muitas expectativas em 2016. Não vamos aqui falar de crise, embora seja impossível esquecê-la. Que 2016 seja um ano ainda melhor para o Clube. Conto e preciso de todos. É um ano único, um ano olímpico, cheio de oportunidades. Quero, neste momento, agradecer a todos desse grande time. O Minas se resume a algumas palavras: valores, família, sonhos e pessoas. Todos são cobrados por resultados, inclusive eu. Sonhar é bom, mas realizar é muito mais importante”.

Realizada anualmente, a Jornada Científica  tornou-se um evento tradicional do calendário das áreas de Esporte, Educação e Multidisciplinar de Apoio ao Esporte do Minas, que visa capacitar os profissionais que atuam no desenvolvimento dos alunos e atletas, além de promover a troca de experiências entre os participantes.

2b4b5066 2b4b5048

Veja a programação

Terça-feira – 26/1/2016

Manhã

Tema: Planejamento de treinamento
Local: Teatro Bradesco
– 8h – Credenciamento
– 8h30 às 9h30 – Planejamento de Treinamento Visando a Fase Final de Preparação do Atleta para Competição-Alvo – Steve Harris (British Canoeing – Paracanoe Program Manager / Team Leader)
– 9h30 às 9h45 – Coffee Break e exposição de pôsteres MTC
– 9h45 às 11h15 – Mesa redonda – Planejamento de Treinamento Visando a Fase Final de Preparação do Atleta para Competição-Alvo, com Scott Volkers (Técnico de Ponta da Natação), Prof. Ms. Pedro Valadão (Preparado Físico), Steve Harris (British Canoeing – Paracanoe Program Manager / Team Leader) e a coordenação da Profa. Ms. Caroline Wilke (Analista Técnico Científico)
– 11h15 – Encerramento

Tarde

Tema: Metodologia de treinamento
Local: Teatro Bradesco
– 14h – Credenciamento
– 14h30 às 15h30 – Métodos de Treinamento Técnico-Tático – Prof. Ms. Ricardo Leão (Técnico da Equipe Profissional do Guarani Esporte Clube)
– 15h30 às 15h45 – Coffee Break e exposição de pôsteres MTC
– 15h45 às 17h15 – Mesa redonda – Treinamento Técnico-Tático, com Nery Tambeiro (Técnico de Ponta do Vôlei Masculino), Alfredo Dornelles (Técnico Principal do Judô), Francisco Azra Teixeira (Técnico de Base da Ginástica Artística Masculina), Prof. Ms. Ricardo Leão (Técnico da Equipe Profissional do Guarani Esporte Clube) e a coordenação do Prof. Ms. Cláudio Olívio (Chefe de Departamento de Integração das Ciências do Esporte)
– 17h15 – Encerramento

Quarta-feira – 27/1/2016

Manhã

Tema: Monitoramento de treinamento
Local: Teatro Bradesco
– 8h – Credenciamento
– 8h30 às 9h30 – Preparação Final do Atleta Olímpico: Monitoramento e Otimização da Recuperação do Atleta – Prof. Dr. Rob Duffield (University of Technology Sydney)
– 9h30 às 9h45 – Coffee Break e exposição de pôsteres MTC
– 9h45 às 11h15 – Mesa redonda – Monitoramento do Treinamento, com Paulo Coco (Técnico de Ponta do Vôlei Feminino), Prof. Ms. José Ricardo (Chefe de Departamento de Preparação Física), Prof. Dr. Rob Duffield (University of Technology Sydney) e a coordenação do Prof. Esp. Sergio Falci (Analista Técnico Científico)
– 11h15 – Encerramento

Tarde

Tema: Psicologia do Esporte
Local: Teatro Bradesco
– 14h – Credenciamento
– 14h30 às 14h50 – Apresentação das Diretrizes da Psicologia do Esporte, com a Dra. Regina Capanema (Coordenadora da Psicologia do Esporte)
– 14h50 às 15h35 – Estresse do Treinador, com a Profa. Ms. Marisa Santiago (Psicóloga do Esporte)
– 15h35 às 15h50 – Coffee Break e exposição de pôsteres MTC
– 15h50 às 16h35 – Preparação Psicológica de Atletas Olímpicos Brasileiros, com o Prof. Dr. Franco Noce (Psicólogo do Esporte – CTE/UFMG)
– 16h35 às 17h15 – Discussão, com a coordenação da Dra. Regina Capanema (Coordenadora da Psicologia do Esporte)
– 17h15 – Encerramento

Quinta-feira – 28/1/2016

Manhã

Tema: Gerência de Educação
Local: Salão de Festas CF6
– 8h30 – Credenciamento
– 9h às 10h – Apresentação da Lei do Bullying (Lei nº 13.185), com Estagiários do Programa do Acompanhamento Escolar
– 10h às 10h15 – Coffee Break
– 10h15 às 11h45 – Dinâmica em Grupo para Discussão e Apresentação de Casos, com Suporte e Discussão da Assessoria Jurídica e Coordenação da Psicologia do Esporte e do Prof. Ms. Cláudio Olívio (Chefe de Departamento de Integração das Ciências do Esporte)
– 11h45 – Encerramento

Tarde

Planejamento interno

Sexta-feira – 29/1/2016

Manhã

Tema: Matriz
Local: Salão de Festas CF6
– 8h – Credenciamento
– 8h30 às 9h – Palavra do Presidente
– 9h às 9h30 – Apresentação da Matriz de Desempenho Esportivo do MTC e do “Boletim”, com Fábio Cânfora (Gerente Multidisciplinar de Apoio ao Esporte)
– 9h30 às 10h – Apresentação da RD e Proposta da NA, com Rogério Romero (Gerente de Esportes)
– 10h às 10h15 – Coffee Break
– 10h15 às 11h45 – Dinâmica em Grupo para Definição dos Processos da Matriz, com coordenação do Prof. Esp. Daniel Freitas (Analista Técnico Científico)
– 11h45 – Encerramento

Tarde

Planejamento interno

Sábado – 30/1/2016

Manhã

Tema:
Departamento de academia
Local: Sala Multimeios
– 8h30 – Credenciamento
– 9h às 9h30 – Abertura, com Márcia Reis (Gerente de Educaçã)
– 9h30 às 10h30 – Estratégias para Retenção de Clientes, com Gilva Silva (Presidente da International Coach Federation – ICF – Capítulo Minas)
– 10h30 às 10h45 – Coffee Break
– 10h45 às 11h30 – Discussão, com a coordenação da Profa. Esp. Maria Lúcia Avelino (Chefe de Departamento da Academia do Minas)
– 11h30 – Encerramento

Tarde

Local: Sala Multimeios
– 14h – Credenciamento
– 14h30 às 16h – Elaboração de Programa, Condicionamento Físico e Saúde x Estética Corporal, com Eduardo aspareto Haddad (Membro da IFBB Academy) e a coordenação da Profa. Esp. Fernanda Queiroz (Coordenadora Atividades Coletivas)

Local: Sala de Pilates – Academia Minas I
– 14h – Credenciamento
– 14h30 às 16h – Aplicação Prática dos Princípios do Pilates, com Ana Paula Braga e a coordenação da Profa. Ms. Cristiane Melo (Coordenadora do Curso de Pilates)
– 16h – Encerramento

 

Leia o texto completo

Novo dirigente do Minas, Rogério Romero fala do desafio e da gestão pública

Publicado em 05/07/15, aqui

Com um currículo extenso no esporte, Rogério Romero aceitou em maio passado um novo desafio profissional. Com o cargo de gerente de esportes, ele vai comandar os nove esportes do Minas Tênis Clube.

Como nadador, Rogério se tornou o único brasileiro a participar de cinco Olimpíadas, sendo finalista em Seul (1988), Barcelona (1992), Atlanta (1996) e Sydney (2000), e semifinalista em Atenas (2004).

Agora como dirigente. ele espera contribuir com o clube no qual passou quase a metade dos 27 anos de carreira como atleta.

Além do passado como nadador, Rogério, que deixou as piscinas, em 2004, trabalhou durante dez anos na política, como subsecretário de Esportes, secretário-adjunto da Secretaria de Esportes e da Juventude e secretário adjunto da Secretaria de Turismo e Esportes de Minas Gerais. Expertise que ele promete colocar a serviço do Minas.

hoje em dia

Você ficou dez anos na política. Por que resolveu sair da vida pública?

Acho que a vida é dividida em ciclos, e este foi mais um ciclo que concluí. Foi um momento interessante e de grande aprendizado que acabou me dando ainda mais bagagem para minha sequência profissional.

Como foi o convite e por que você aceitou se tornar o gerente de esportes do Minas?

Na verdade, não foi um convite. A oportunidade surgiu com a reestruturação da administração do clube, após a entrada do Luiz Gustavo Lage (presidente). Foi aberto um processo seletivo, onde eu e mais algumas pessoas participamos, e acabei sendo o escolhido. O Minas é uma referência no esporte e acredito que, para minha carreira fora das piscinas, será um grande desafio.

Como gestor, o que você pode acrescentar ao Minas?

Acredito que o Minas já tem todas as ferramentas para se manter no auge. E é isso que complica ainda mais o meu trabalho. Vejo muitas semelhanças entre o Minas e o governo. Ambos são muito burocráticos, e é sempre complicado aprovar as ações. Aqui, a diretoria nos dá todas as diretrizes do que devemos fazer. Minha ideia é contribuir onde for preciso, e o grande desafio é manter o clube como uma referência no esporte nacional.

Quais projetos e/ou ideias que você tem para tornar o Minas um ‘case de sucesso’ ainda maior no esporte brasileiro?

A minha intenção e função é facilitar para que todos os esportes tenham as melhores condições possíveis, e o limitador para isso são os recursos, tanto o financeiro que rege nossos orçamentos, quanto o de material humano.

Como a experiência olímpica que você tem pode ajudar nesse cargo?

Acredito que não só a minha experiência olímpica, mas como atleta, me ajuda a entender um pouco melhor as demandas dos atletas de alto nível. Por exemplo, sei que os detalhes fora das quadras, tatames ou piscinas, contam tanto quanto dentro. Por isso, procuro dar aos atletas um bom conforto, uma alimentação adequada, um bom aparato de ciência do esporte, com psicologia, preparação física, entre outras coisas.

O Minas não chega a uma decisão de Superliga desde 2009 (no masculino) e desde 2004 (no feminino). Como o clube pode voltar às grandes glórias na modalidade?

Primeiramente, temos que voltar a dar boa visibilidade para os possíveis parceiros, porque no vôlei e no basquete também, o resultado depende diretamente do investimento, infelizmente. Mesmo assim, o Minas montou duas equipes competitivas na última temporada e obtivemos um ótimo resultado. Se conseguirmos um patrocinador forte para o vôlei, tenho certeza de que voltaremos a brigar pelos principais títulos.

O Minas vem deixando de ser a maior referência no vôlei mineiro, com resultados inferiores aos do Sada/Cruzeiro e aos do Praia Clube. Como resgatar essa tradição?

Vejo isso com bons olhos, pois acaba sendo mais um desafio que temos que encarar de peito aberto. Além disso, melhora o campeonato estadual e fortalecer a modalidade. O Minas não vai deixar de competir por não sempre ganhar, mas nosso objetivo sempre é montar equipes a altura da tradição do clube, que entrem em quadra com o objetivo de vencer.

Nesse momento de crise econômica no país, como fazer o empresariado mineiro voltar a investir?

Vou citar uma frase que eu gosto de usar: “dentro das crises é que surgem as oportunidades”. Nosso papel é mostrar que o esporte está passando por um momento interessante, já que estamos adentrando o ano olímpico. Temos de mostrar que o esporte atinge as pessoas de uma maneira especial, diferentemente de uma propaganda.

hoje em dia 2

Em 2001, ainda como nadador: 13 dos 27 anos da carreira como atleta de Romero foram dedicados ao Minas (Foto: Cristiano Machado / Arquivo Hoje em Dia)
Como é trabalhar na iniciativa privada em meio a um mercado tão ruim para obter patrocínios?

Felizmente, o Minas, além de um clube, é uma empresa muito bem sucedida e muito sólida. Prestamos serviço aos nossos associados com quem temos uma credibilidade muito grande, como comprovamos através de pesquisas de satisfação que fazemos. Além disso, estamos sempre inovando, investindo em diversas obras, na capacitação de pessoal, e acredito que tudo isso demonstra que não aceitamos ficar parados. No esporte não é diferente, estamos sempre em busca de bons parceiros para viabilizar boas equipes em todas as modalidades.

A natação e o judô são os principais esportes do clube em termos de resultados profissionais no momento. Por quê?

Isso acontece porque o trabalho vem sendo muito bem feito. O judô está sendo uma grata surpresa há alguns anos, tem uma equipe consistente com grandes resultados, os títulos masculino e feminino do Troféu Brasil, mesmo poupando os judocas que disputarão o Pan-americano de Toronto. Além disso, com a convocação para o Mundial do Cazaquistão, em agosto, somos o clube que mais vai ceder atletas para a seleção. A natação acabou de ser vice-campeã do Troféu Maria Lenk, mas fomos campeões brasileiros no infantil, que mostra que o trabalho de base também está sendo bem feito, que vai alimentando as equipes de ponta.

Com base na sua experiência, o que funciona e o que não funciona na gestão pública? Quais as dificuldades?

No poder público também há muitas restrições orçamentárias e este é o maior limitador. Todo mundo quer que tudo seja feito pelo poder público, e simplesmente isso não é possível. É preciso estabelecer algumas prioridades antes de sair investindo. Atualmente, o ministro George Hilton e sua equipe estão tentando estabelecer o sistema nacional do esporte, que eu acho que é uma iniciativa muito interessante, até para saber porque há muito esforço duplicado nos diversos governos. Havendo esse alinhamento, talvez o recurso comece a ser melhor distribuído, o que favorecerá a todos em uma última instância.

Por que não temos um investimento consistente no esporte de base, desde as escolas?

Talvez porque não dê a visibilidade política que muitas pessoas querem. Em todos os fóruns sobre política esportiva é falado que o esporte educacional tem que ser prioridade. Na verdade, ele já é a prioridade constitucional, é só olhar para o artigo 217 da constituição. Mas, em exceções, como é agora do ciclo olímpico de uma Olimpíada que vai ser realizada no Brasil, tem um esforço maior no esporte de alto rendimento, mas, pra mim é muito claro que o grosso do investimento tem que ser no esporte educacional.

Como avalia o objetivo do COB de o Brasil terminar a Olimpíada entre as dez primeiras colocadas do quadro de medalhas?

Acho que a estratégia deles está sendo bem sucedida. O plano era manter forte as modalidades que já vinham dando medalhas; e aquelas que chegaram perto, tiveram o investimento aumentado para ela subir de patamar. Hoje, o Brasil tem chance de conquistar medalhas no pentatlo moderno, tiro com arco, canoagem. Além disso, o handebol feminino é campeão mundial, o polo aquático foi quarto colocado no Mundial. Ou seja, houve uma evolução, e vamos conquistar medalhas que serão surpreendentes para muita gente. Por isso, acredito que há chance real de o Brasil terminar entre os dez primeiros.

O que você espera da participação do Brasil no Pan de Toronto? Acha que a competição pode ser vista como um termômetro para a Rio 2016?

Acho que o nível das duas competições é muito diferente para comparar as metas e resultados. Alguns países, inclusive, nem levam suas equipes principais. Além disso, só os países do continente americano disputam o Pan, e em alguns esportes as principais equipes são as europeias ou as asiáticas. Por isso, acontece muito de o Brasil ter um grande desempenho no Pan e não repetir isso na Olimpíada subsequente. Ao mesmo tempo, é sempre bom ter a oportunidade de disputar uma competição de alto nível apenas um ano antes dos Jogos Olímpicos. Para os mais jovens serve também a experiência de participar de um evento para quebrar o gelo.

 

Leia o texto completo

Projetos municipais receberão apoio técnico da Secretaria do Esporte e do Turismo

Publicado em 27/04/15, aqui

IMG_3255

Setenta projetos de fomento ao esporte elaborados por municípios de todas as regiões do estado apresentados durante o III Encontro de Gestores do Esporte, em Campo Mourão, região Centro-Oeste, nas últimas quinta e sexta-feiras, entram agora em fase de estruturação técnica para enquadramento à lei de incentivo ao esporte do governo federal. Discutidos durante o evento, realizado pelo governo do estado por meio da Secretaria do Esporte e do Turismo (SEET) e Sanepar, com apoio do Conselho Regional de Educação Física (CREF), Faculdade Integrado, Unespar e prefeituras, além do mourãoense Nelson Teodoro de Oliveira, os projetos receberão a consultoria de técnicos da SEET para adequação à lei.

Os projetos que se adequarem a todas as exigências técnicas também receberão apoio do governo do estado no momento da captação de recursos, numa parceria entre a SEET e a Secretaria do Planejamento, que atuarão como intermediárias entre as prefeituras e as empresas interessadas em investir no esporte paranaense.

“Pretendemos atingir com nosso projeto toda a população de assentados e acampados localizados em Rio Bonito do Iguaçu, cerca de 12 mil pessoas”, disse Rudney Brecailo, que apresentou a proposta do município durante as câmaras temáticas. Rio Bonito tem o maior assentamento da reforma agrária do país. Para Brecailo, o encontro superou as expectativas. “Estamos debatendo e participando”, disse.

IMG_3211

Palestras
Além das discussões específicas dos projetos, o encontro recebeu ainda palestras sobre vários temas ligados ao esporte. Antônio Eduardo Branco, presidente do CREF, falou sobre a importância da capacitação profissional de gestores e professores. Já o atleta Marcos Juliano Ofenbock, criador do Futsac, primeiro esporte 100% paranaense, apresentou a modalidade aos gestores.

Cases de sucesso

O secretário de Esportes de Campo Mourão, Ricardo Echelmeier, falou sobre a lei de incentivo municipal. Em vigor há mais de dez anos, a lei permite que pessoas físicas e jurídicas destinem parte do IPTU e ISS (Imposto Sobre Serviços) devidos ao município para o financiamento de projetos esportivos. Os projetos podem ser de formação esportiva; auxílio a equipes que representem Campo Mourão; atletas que morem na cidade e realização de eventos ou recuperação de espaços destinados à prática esportiva. Em 2015, os 22 projetos enquadrados na lei podem captar até R$ 795 mil.

Já a professora Tatiana Pedroso, de Toledo, falou sobre o Mais Vôlei, primeiro projeto do município aprovado pela lei federal de incentivo ao esporte. Ela destacou a necessidade de qualificação técnica do projeto. “Até mesmo um carimbo com a tinta fraca pode fazer o projeto ser recusado”, afirmou. Para Tatiana, um assessor de imprensa para a divulgação do projeto – e patrocinadores – e um contador para a correta prestação de contas são profissionais fundamentais para o sucesso do projeto.

Flavia Romagnoli, representante da Agência de Fomento do Estado, falou sobre as diversas linhas de crédito do órgão que podem ser destinadas à área esportiva. Ela lembrou que todos os municípios têm representantes da agência que podem auxiliar os municípios, pessoas físicas e jurídicas no processo de obtenção de crédito.

O último case de sucesso apresentado aos gestores foi de gestão compartilhada. Presidente da Federação Paranaense de Tae Kwon Do e técnico da seleção brasileira, Fernando Madureira falou sobre o projeto Tae Kwon Do nas UPSs. Realizado em parceria pela federação, Fiep e secretarias de Segurança, Educação e Esporte e Turismo, além de prefeituras, o projeto leva aulas da arte marcial às escolas em que estão instaladas as Unidades Paraná Seguro, postos da polícia militar localizados em regiões com altos índices de violência. Durante o encontro, cerca de 15 prefeituras se interessaram em levar o projeto para seus municípios.

banner-sitemedio

Rogério Romero
Na principal palestra do evento, o ex-nadador Rogério Romero, que participou de cinco olimpíadas e é o único brasileiro quatro vezes finalista dos jogos, falou sobre sua trajetória e a necessidade de se enfrentar as dificuldades impostas aos atletas brasileiros. Tendo também trabalhado com gestão pública de esporte no governo de Minas Gerais, Romero destacou o planejamento e a iniciativa como armas dos gestores para vencer os desafios do esporte. “O esporte permeia as áreas de saúde, educação e segurança”, ressaltou. “Cabe a cada um de nós fazer a valorização do esporte”, concluiu.

Lei de Incentivo
Marcelo Seixas, vice-presidente de Fomento do Instituto Cultural Ingá (ICI), instituição da sociedade civil de Maringá, falou sobre Lei de Incentivo e Elaboração de Projetos para Captação de Recursos. Para o gestor, o país está num bom momento para o esporte. As olimpíadas de 2016 farão o tema estar cada vez mais presente na mídia e na vida das pessoas. “É o momento de apresentarmos bons projetos”, disse. O presidente da Paraná Turismo, órgão da SEET, Jacó Gimennes, encerrou as atividades falando sobre a interligação entre esporte e turismo.

Para o secretário do Esporte e do Turismo, deputado Douglas Fabrício, o encontro cumpriu o objetivo. “Tivemos ampla participação dos municípios e temos convicção de que os gestores levarão não só boas ideias, mas projetos executáveis em suas cidades”, afirmou. “Conforme orientação do governador Beto Richa, estamos trabalhando sempre em busca de parcerias”, concluiu.

COM/SEET
Marcus Vinicius Schroeder
marcusviniciuss@outlook.com
Paulo Galvez da Silva
paulo_silva@seet.pr.gov.br
(41)3361-7708

Leia o texto completo

Gestão do Esporte: muito mais que uma luz no fim do túnel

Publicado em 09/15/15, aqui

rogerio_romero_fgv

Por Luiz Carlos Pessoa Nery

A grande notícia da semana para o esporte brasileiro foi a contratação de Rogerio Aoki Romero (foto) para assumir a Gestão de Esportes do Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. Especialista nos 200m costas, Romero é o único nadador brasileiro que participou de cinco edições dos Jogos Olímpicos, entre 1988, em Seul, e 2004, em Atenas. Foi finalista em quatro delas.

Muito mais do que a ampla experiência no esporte de alto rendimento, bem como sua formação profissional, o Minas aponta, com Rogério, o caminho da excelência esportiva (ainda mais…), não só por ser, juntamente com o Esporte Clube Pinheiros​, o clube que mais cede atletas olímpicos ao Time Brasil, mas por reforçar o campo da Gestão do Esporte com um profissional capacitado para este desafio gerencial.

Formado em Gestão Empresarial, Rogério Romero leva ao clube a sua vivência acadêmica aliada à pratica de gestor público, adquirida como secretário-adjunto de Esporte e da Juventude do Estado de Minas Gerais.

Essa iniciativa do clube mineiro é numa clara demonstração de visão do futuro esportivo no Brasil, e consciência da possibilidade de ampliação da cadeia de negócios, que tende a seguir, crescendo com seus parceiros. Para isso, leva em consideração todas as modalidades ativas que desenvolve, bem como no esporte de base, garantindo a renovação esportiva para os próximos anos.

O Brasil é um dos países com o maior número de instituições clubísticas do mundo. Nosso esporte olímpico tem na sua base a maioria dos atletas originários destas entidades. Infelizmente, estas instituições sofrem com a crise financeira motivada pelo péssimo modelo administrativo adotado atualmente.

Que este empreendimento realizado pelo clube mineiro sirva de reflexão e exemplo, podendo-se projetar o potencial de empregabilidade direta e indireta, quando visualizamos as ciências do esporte que compõem a gestão, fazendo uma transferência e contabilizando-se todos os clubes do país.

Ídolo da natação, gestor por excelência e larga cumplicidade ao clube, Romero é o nome certo para a condução deste cargo. Ganha o Minas, ganha o esporte mineiro e acima de tudo, o esporte brasileiro.

Luiz Carlos Pessoa Nery é doutorando em Gestão do Esporte pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ

Leia o texto completo

Rogério Romero é o novo gerente de esportes do Minas Tênis Clube

Oublicado em 07/04/15, aqui

Cinco vezes atleta olímpico, Rogério Romero tem tido destaque na área de gestão esportiva nos últimos anos. Atuou com suceeso como Secretário Adjunto  e Sub-secretário de Turismo e Esportes do Estado de Minas Gerais.

Agora, o próximo desafio de Romero vai ser comandar o esporte do Minas Tênis Clube. Ele assume na segunda-feira o cargo de gerente de Esportes do clube onde fez  a maior parte de sua carreira.

Veja a matéria do anúncio de Rogério Romero no website do MInas Tênis Clube clicando aqui.

Um golaço do Minas!

Leia o texto completo

Ex-atleta olímpico participa de evento em Campo Mourão

Publicado em 26/04/15, aqui

Natacao2015_Romero

O ex-atleta olímpico brasileiro Rogério Aoki Romero, que participou de cinco olimpíadas defendendo o Brasil na modalidade natação, esteve em Campo Mourão na sexta-feira (24/04) e proferiu palestra no 3º Encontro de Gestores Públicos do Esporte do Paraná,  promovido pelo Governo do Estado do Paraná, por meio da Secretaria do Esporte e Turismo, no Teatro Municipal.
Romero falou para um número expressivo de dirigentes, vindos de cidades de todas as regiões paranaenses, sobre o tema “Gestão Pública Esportiva: Um Desafio Olímpico”.
Após encerrar a carreira como atleta, o paranaense de Londrina, radicado desde 1991 em Belo Horizonte, foi Secretário Adjunto de Turismo e Esportes do Estado de Minas Gerais. Inclusive recentemente recebeu Título de Cidadania Honorária da Capital Mineira. Atualmente trabalha como consultor de negócios na área esportiva, mais precisamente na natação, onde competiu por tantos anos e fez sua história no esporte.
Romero avaliou positivamente o evento, a iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Esporte e Turismo, por unir os gestores municipais e estar compartilhando um pouco dos projetos, aproximando-se da realidade de cada município na área esportiva.
“Foram repassadas informações que podem gerar uma expectativa muito positiva no que diz respeito ao trabalho em cada município, por meio principalmente da alternativa da busca de recursos para a manutenção dos trabalhos esportivos. Muitas vezes um município faz muito mais com muito menos, falando-se em valores dependendo da formação de boas parcerias”, destaca Romero.
Leia o texto completo

Novo comando – Rogério Romero é o novo gerente de Esportes do Minas

Publicado em 07/05/15, aqui

rogerio-romero

O ex-atleta olímpico e ex-secretário-adjunto de Turismo e Esportes de Minas Gerais Rogério Romero é o novo gerente de Esportes do Minas Tênis Clube. Com extenso currículo e sólida experiência na área esportiva, que inclui graduação em Gestão Empresarial, MBA em Gerenciamento de Projetos e especialização em Gestão de Negócios Esportivos, além de reconhecida atuação como atleta profissional, Rogério assume, a partir da próxima segunda-feira (11/5), o desafio de comandar os nove esportes do Minas.

“Acredito que meu principal desafio como gerente de Esportes do Minas será lidar com uma organização que já tem a excelência em tudo que faz, principalmente no esporte, e manter esse patamar. Essa será uma cobrança natural, já que é sempre esperado que as equipes esportivas do Minas estejam entre as principais do País. Tenho como meta dar continuidade a essa trajetória de sucesso”, destacou Rogério Romero.

Rogério Aoki Romero nasceu em 22 de novembro de 1969, em Londrina (PR), e acumulou importantes conquistas como atleta profissional. Como nadador, ele é o único brasileiro a participar de cinco Olimpíadas, sendo finalista em Seul (1988), Barcelona (1992), Atlanta (1996) e Sydney (2000), e semifinalista em Atenas (2004). Em 27 anos de carreira como atleta, o novo gerente de Esportes do Minas garantiu 29 recordes sul-americanos e 41 recordes brasileiros, foi campeão pan-americano em Havana (1991) e Santo Domingo (2003), recordista mundial máster nos 200m costas em piscina olímpica, decacampeão sul-americano, 15 vezes campeão do Troféu Brasil de Natação e participou de dez Campeonatos Mundiais. Ele defendeu o Minas Tênis Clube, de 1991 a 2000 e de 2001 a 2004, e passou também por Associação Cultural e Esportiva de Londrina, Clube do Golfinho, Coral Springs Swim Club e Clube de Regatas do Flamengo.

Como gestor, Rogério acumula experiências como subsecretário de Esportes, secretário-adjunto da Secretaria de Esportes e da Juventude e secretário adjunto da Secretaria de Turismo e Esportes de Minas Gerais; conselheiro nacional do Esporte; presidente do Fórum Nacional dos Secretários e Gestores Estaduais de Esporte e Lazer; consultor de negócios da Myrtha Pools Brasil; e consultor de negócios da Metodologia Gustavo Borges.

Leia o texto completo

Sudesb define planejamento estratégico para o PPA 2016 -2019 do Estado

Publicado em 30/04/15, aqui

sudesb

Em reunião realizada nesta quinta-feira 30 (manhã e tarde), na tribuna de honra do Estádio Metropolitano de Pituaçu, dirigentes, assessores e técnicos da Superintendência de Desportos do Estado da Bahia (Sudesb) definiram as linhas-mestras do planejamento estratégico para o Plano Pluriaanual (PPA 2016-2019) do Estado.

Autarquia vinculada à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), a Sudesb contratou para orientar esta ação o consultor Rogério Romero ex-secretário de Estado-Adjunto de Turismo e Esportes e ex-presidente do Fórum de Secretários e Gestores Estaduais de Esporte e Lazer (Fonseel).

Proposta – Secretário estadual do Trabalho e Esporte, Álvaro Gomes abriu os trabalhos falando da sua proposta em tratar o esporte na Bahia “como fator de inclusão, justiça social e desenvolvimento humano” e sugeriu que as propostas sistematizadas no encontro sejam preparadas para ser apresentadas na próxima semana ao governador Rui Costa.

Diretor geral da Sudesb, Elias Dourado destacou o balanço positivo do esporte na gestão anterior que “ampliou a infraestrutura com mais oportunidades de atividades esportivas e de lazer nos municípios baianos”. Chefe de gabinete da Setre, Jorge Wilton exortou o grupo “a produzir uma boa política pública, que atenda aos anseios da população”.

Metodologia – Com base em uma metodologia de planejamento estratégico, o consultor Rogério Romero orientou a equipe da Sudesb a definir prioridades, objetivos e traçar o mapa estratégico da autarquia nos próximos quatro anos. “A partir das análises de cenários internos e externos (com dados e fatos) foi possível dar uma configuração visual de tudo que foi definido  e, em especial, a visão e a missão da Sudesb”, conclui.

Consultor Rogério Romero é o único nadador brasileiro finalista em quatro edições dos Jogos Olímpicos (Seul, Barcelona, Atlanta e Sidney); e primeiro nadador no mundo a participar de cinco edições dos Jogos Olímpicos (1988, 1992, 1996, 2000 e 2004).

Ascom Setre

 

Leia o texto completo

Dash for cash: CBDA e Correios anunciam seleção e grana para medalha olímpica

No anúncio oficial de sua equipe olímpica a CBDA e seu longevo patrocinador, os Correios, divulgaram duas novidades: a premiação para os medalhistas em Londres e que a parceria vai se estender até Rio-2016 (nada mais que natural).

Esqueçam os números milionários da final da Champions League. As medalhas de ouro, prata e bronze valem, respectivamente, 100, 50 e 30 mil reais. É a primeira vez que a Confederação oferece oficialmente este tipo de incentivo, algo já recorrente na Confederação Brasileira de Atletismo. Num ato de justiça, 20% da premiação vai para o(s) técnico(s).

Marcelo Chierighini: seu técnico comemorou a vaga olímpica logo após a seletiva. (twitter)

A seleção foi confirmada com a presença de Nicholas Santos, reserva no nosso forte revezamento 4×100m livre, e Poliana Okimoto, na maratona aquática. Nesta última modalidade, o Brasil ainda tem chance até 10 de junho para garantir alguma vaga no masculino.

Segue a lista dos convocados:

MASCULINO (15)
BRUNO FRATUS – 50M LIVRE
CESAR CIELO – 50M LIVRE / 100M LIVRE
DANIEL ORZECHOWSKI – 100M COSTAS
FELIPE FRANÇA SILVA – 100M PEITO
FELIPE LIMA – 100M PEITO
GLAUBER SILVA – 100M BORBOLETA
HENRIQUE BARBOSA – 200M PEITO
HENRIQUE RODRIGUES – 200M MEDLEY
KAIO MÁRCIO – 100M BORBOLETA / 200M BORBOLETA
LEONARDO DE DEUS – 200M BORBOLETA / 200M COSTAS
MARCELO CHIERIGHINI – 4X100M LIVRE
NICHOLAS SANTOS – 4×100M LIVRE (RESERVA)
NICOLAS OLIVEIRA – 100M LIVRE
TALES CERDEIRA – 200M PEITO
THIAGO PEREIRA – 200M MEDLEY / 400M MEDLEY

FEMININO (5)
DAYNARA DE PAULA – 100M BORBOLETA
FABIOLA MOLINA – 100M COSTAS
GRACIELE HERRMANN – 50M LIVRE
JOANNA MARANHÃO – 400M MEDLEY
POLIANA OKIMOTO – MARATONA AQUÁTICA


Este texto foi originalmente publicado no site do iG (colunistas.ig.com.br/rogerioromero

Leia o texto completo